Madri – O essencial da capital espanhola

Plaza Mayor/Renato Alves

Eliane Moreira (texto) e Renato Alves (fotos) 

Nem tente resistir à sedução da capital espanhola. Madri é tão intensa quanto os filmes de Almodóvar. E dá um olé nos turistas, com seus monumentos históricos, sua gastronomia, seu povo caliente.

Sim, os espanhóis falam alto e quem não entende bem o idioma pode ter a impressão de que eles estão sempre discutindo. Não é verdade. Também gentis, não são raras as vezes em que interrompem seu caminho para oferecer informações aos visitantes perdidos.

Aliás, Madri é bastante receptiva aos turistas. O metrô dá acesso a todas as atrações, indo até ao distante terminal 4 do aeroporto Barajas.

O viajante pode optar por comprar os abonos turísticos, com tarifas promocionais para um, dois, três, quatro ou sete dias (as tarifas vão de 5 a 22,60 euros). Mas não espere por acessibilidade. A maioria das estações não tem elevadores ou escadas rolantes. A pontualidade e rapidez dos trens compensam o desconforto.

De qualquer forma, é possível conhecer algumas das principais atrações madrilenhas apenas caminhando pela cidade. Para isso, opte por hospedar-se próximo à Gran Via, à Calle de Alcalá, ou à Calle de Atocha, principais avenidas centrais. Há hotéis e hostals (espécie de pousada) nessa região, para todos os bolsos.

Fachada do Botin/Renato AlvesPara todos os bolsos também são as opções gastronômicas.  Os pratos típicos mais encontrados são a paella e a tortillla. Mas esqueça toda sua rotina alimentar. Nas principais lanchonetes, o café da manhã é servido às 10h, e o almoço só depois da sesta, lá pelas 3 horas da tarde. Vale a pena esperar. Os restaurantes oferecem opções de pratos do dia, com entrada, refeição principal, bebida e sobremesa. E também os chamados “combinados”, refeição única, geralmente com um grelhado e dois ou três acompanhamentos.

E por falar em restaurantes, fica em Madri, segundo o Guiness Book, o restaurante mais antigo do mundo. Fundado em 1725, tudo no Botín remete ao passado: paredes de tijolo, forno a lenha, azulejos antigos. Garçons e gerente são extremamente amáveis, mas é preciso fazer reserva com bastante antecedência. 

Cozinha do Restaurante Botin/Renato AlvesImperdíveis, no entanto, são as tapas. Tradição espanhola, são aperitivos encontrados na maioria dos bares espanhóis. Os tira-gosto deles. Não deixe de degustá-los no Museo del Jamón.

Como o próprio nome já indica, esse misto de bar e restaurante é especializado em presunto. De todos os tipos. Há várias unidades espalhadas por Madri.

Outro achado gastronômico na capital espanhola é a rede de lanchonetes Demontaditos… Assim mesmo, com reticências. São mini-sanduíches, todos com pão francês e várias opções de recheio, de caviar a salsicha. Bem originais, gostosos e baratos.

Anúncios

6 comentários em “Madri – O essencial da capital espanhola

  1. Tenho imenssa vontade de conhecer a capital espanhola.Madri, mas tenho medo de aventurar.

    Curtir

  2. Lili,
    eu ainda hoje, às vezes me assusto um pouco com o tom de voz dos espanhois… sempre penso que estão brigando… kkkkkkkkkkkkkkk…
    Ah, linda Madrid!!!
    Viva España!

    Curtir

  3. Guilherme,

    a Plaza de Toros de las Ventas, onde ocorrem os espetáculos em Madri, é considerada uma das mais belas da Espanha. Apesar de não gostar nem um pouquinho de touradas, acho que uma visita ao local, dada a importância das touradas na cultura espanhola, vale a pena sim. Eu só não iria em dias de exibição…

    Eliane

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s