Istambul (2) – Toda a magia da Santa Sofia

Interior do Museu Santa Sofia

Vista panorâmica da Santa SofiaHelena Mader (texto e fotos)

Quando o sultão Mehmet, o conquistador, derrotou o Império Romano e tomou Constantinopla, seguiu para a Catedral Santa Sofia logo depois de ultrapassar as muralhas da cidade.

Era uma terça-feira, 29 de maio de 1453, quando o imperador passou pelo portal da igreja.

Diante da beleza e da grandiosidade do prédio, Mehmet se ajoelhou. Depois da sangrenta batalha que afirmou a supremacia do Império Otomano no mundo antigo, ele descobriu por que Constantinopla era tão celebrada no Oriente e também no Ocidente.

turquia-vista-externa-do-museu-santa-sofia21Mais de cinco séculos depois, os visitantes têm a mesma reação que Mehmet experimentou ao entrar na catedral, hoje conhecida como Museu Santa Sofia ou Hagia Sofia.

As paredes de mosaicos, as pilastras e esculturas de mármore colorido e as enormes inscrições em árabe sobre grandes círculos contam um pouco de uma história de 1,5 mil anos.

A Santa Sofia foi construída por volta de 530 pelo imperador Justiniano, que queria erguer a maior catedral católica ortodoxa da época. Durante quase 900 anos, foi considerada como “a jóia da arquitetura bizantina”. Durante sua construção, o imperador determinou a utilização de mármore branco de Marmara, mármore verde das ilhas gregas e o amarelo, que veio da África.

Altar que indica a direção de MecaMesquita

Em vez de destruir a igreja, símbolo do catolicismo ortodoxo, Mehmet decidiu tranformá-la em uma mesquita. Para tal, construiu quatro minaretes — torres do alto das quais é entoado o chamado para as preces — retirou as imagens e cobriu todos os mosaicos que faziam referência à religião católica com um revestimento cinza.

No lugar do altar, foi colocado um enorme mihrab, que indica a direção de meca, decorado com inscrições douradas em árabe. Outra adaptação dos otomanos foi a instalação de enormes painéis redondos negros, também com escritas douradas em árabe. Os círculos trazem os nomes de Alá, Maomé e dos primeiros califas.

Interior do museu Santa SofiaMuseu

Em 1935, o presidente Kemal Ataturk, considerado o pai da Turquia moderna, transformou a Hagia Sofia em um museu.

Hoje, por 20 liras turcas (cerca de R$ 28) qualquer um pode entrar no monumento, andar por entre as pilastras de mármore sem precisar seguir as regras das mesquitas, como cobrir todo o corpo ou o rosto.

O governo turco mandou restaurar os mosaicos cobertos por revestimentos no Império Otomano. As poucos, as imagens católicas começam a ressurgir nas monumentais paredes da Hagia Sofia. A arquitetura bizantina da antiga catedral inspirou a arquitetura otomana, que usou a forma da igreja na construção das mesquitas.

Detalhe de mosaicos restaurados

Anúncios

Um comentário em “Istambul (2) – Toda a magia da Santa Sofia

  1. Olá Renato Alves, estive na Turquia, voltei deslumbrada e criei um Blog com fotos e comentários da viagem. Como não fiz fotos do exterior de Hagia Sifia, estou pensando em colar seu endereço lá para que possam conhecer os excelentes comentários e as ilustrações que vc tem e que, com raras excessões, são diferentes das minhas.
    Abraços,
    Bilá Bernardes

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s