Toscana – Berço da arte italiana

Ponte Vechio

Janine Avelar  (texto) e Stefano Scala (fotos)

Florença, a cidade inspiração. Cada esquina merece um suspiro. Sua origem data de 50 a.C., palco de grandes batalhas políticas e religiosas. Reserve pelo menos três ou quatro dias para conhecer a cidade ou sua visita se tornará uma maratona.

Com seu imponente centro religioso, zona de tráfego limitado, se chega caminhando desde a estação de trem, ônibus ou dos estacionamentos onde os turistas devem deixar seus carros (2,70 euros a hora). Quase tudo em Florença pode ser visto à pé.

Catedral de FlorençaPassando pelas estreitas ruas medievais, chegamos ao Duomo, todo decorado com mármore Toscano, com as típicas tonalidades: o branco de Carrara, o verde de Prato e o rosa de Maremma. A catedral Santa Maria del Fiori é enorme, com 150m de comprimento e 40m de altura.

Dentro da catedral está a famosa Cúplula de Brunelleschi, com 91m de altura e 45m de largura. Uma obra que assusta pela perfeição arquitetônica (é uma cúpula dupla, uma interna e outra externa com 463 degraus no interior – o que permite sua visitação) e pelos belos afrescos de Vasari  e Zuccari, que pintaram em perspectiva o Juízo Final.

O campanário tem 89m de altura. Do alto do campanario se vê quase toda a cidade. São muitos e muitos degaus que merecem ser subidos, principalmente se você conseguir chegar ao topo antes das 18h, quando soam os sinos. Atenção: é necessário preparo físico, pois não existe elevador.

Battistero de San GiovanniEdifício romano

Em frente à catedral está o Battistero de San Giovanni, um edifício romano de grande importância. Sua cúpula é toda trabalhada em mosaicos e entre as duas colunas do altar está uma estátua do Antipapa Giovanni XXIII, esculpida por Donatello.

Vizinhos ao Duomo estão o Palazzo Medici-Riccardi, com sua galeria barroca e os aposentos da família Medici, e a Igreja de São Lourenço, onde realizam uma feira de artesanato (não tão artesanal mais) e de produtos típicos da região aos finais de semana.

Seguindo em direção ao Rio Arno, se chega ao centro político, onde está a belíssima Piazza della Signoria, cercada de um lado pelo Palazzo della Signoria e do outro pela Galeria Uffizi, e no centro a incrível fonte do Netuno (que deus grego!).Piazza della Signoria

A praça é um museu a céu aberto. Além da escultura de Netuno e o conjunto escultórico que o cerca, ainda está a estátua equestre de Cosimo I, e outras várias obras no prédio da Loggia dei Lanzi, como o Perseo de Cellini e Ratto delle Sabine de Giambologna.

O famoso David de Michelangelo ficava exposto nesta mesma praça, mas por questões de conservação, foi levado à Galleria dell’Accademia . Outro local imperdível para os amantes das artes plásticas,onde também se pode ver a Pietá de Palestrina, esculpida por Michelangelo, e várias outras obras importantes do Renascimento.

Estátua de Leonardo da VinciMestres renascentistas

Reserve uma tarde inteira (ou uma manhã) para a visita na Galeria Uffizi que guarda um extenso acervo de grande valor para a humanidade. Lá você verá obras dos grandes mestres renascentistas: Leonardo da Vinci, Filippo Lippi, Piero della Francesca, Botticelli (os incríveis quadros La Nascita di Venere e La Primavera), Michelangelo, Raffaello (ou Rafael), Tiziano (o maravilhoso quadro Venere di Urbino), Caravaggio e de outros não renascentistas como Rembrandt e Goya.

A arquitetura do edifício também deve ser admirada. Em forma de U, com três andares, permite uma inesquecível vista do Rio Arno e do Ponte Vecchio.

Sinagoga e igrejas

Para descansar, se jogue nos Jardins de Boboli, jardins do Palazzo Pitti. A cidade também oferece outros atrativos: os Museus Arqueológico e da Ciência, a Casa de Dante (Alighieri), a Sinagoga e as Igrejas Santa Maria Novella, Santa Trindade (S.Trinita) e Santa Cruz (S. Croce),como espaços de visitação.

Como regra geral, mesmo que você tenha feito sua reserva antes pela internet, prepare-se para filas intermináveis nas galerias e museus. Respire fundo, olhe as pessoas ao seu redor e aguente firme. Vale a pena esperar.

Torre de PisaTorre de Pisa

Seguindo o rumo do Rio Arno, você chegará a Pisa. Uma pequena e charmosa cidade, famosa pela Torre tombada. Reserve um dia para esta cidade, com certeza você conseguirá ver tudo. Eu garanto!

Diferente de Florença, você pode entrar de carro no centro histórico. Mas o bom mesmo é deixá-lo num local mais tranquilo e se meter entre as ruazinhas medievais e, assim, ter a grata surpresa de avistar ao longe o monumento principal da cidade.

Na Piazza dei  Miracoli, está a Torre de Pisa. Erguida na Idade Média, ela tem 56m de altura e uma inclinação de 5 graus (parece muito mais). Para ir ao topo, você deve fazer a reserva. O acesso custa 14 euros.

A espera varia de 40 minutos a 2 horas. Enquanto aguarda sua vez, visite o lindo Duomo e faça as típicas fotos segurando a Torre. Também é divertido ver as pessoas fazer o registro delas.

A Catedral do Duomo é decorada com mármores de várias cores, mosaicos e portas de bronze, com desenhos em alto-relevo incríveis, como La porta di San Ranieri.

Dumo de PisaO interior da Catedral é revestido de mármores brancos e negros e tem no altar um grande mosiaco com a imagem de Cristo, cercado pela Virgine (Nossa Senhora) e por San Giovanni Evangelista.

O belíssimo pulpito escultórico (de Giovanni Pisano)  em mármore e os afescos da cúpula da igreja também merecem alguns minutos de observação.

Dê mais umas voltinhas pela cidade. Olhe a paisagem. Você verá mais uma ou duas igrejas. No fim de tarde, passeie pela orla do Rio Arno, que tem uma iluminação especial.

Se ainda tiver tempo e dinheiro, aproveite para vistar outras cidadezinhas da Toscana, como Vinci (a do Leonardo), Arezzo e Siena. Não deixe de provar a maravilhosa Fiorentina, uma carne especialmente preparada na chapa, especialidade da região.

(Janine Avelar  é gestora cultural, mineira e moradora de Barcelona, Espanha. Stefano Scala é fotógrafo semi-profissional, italiano e morador de Milão, Itália)

Vista noturna de Pisa

Anúncios

2 comentários em “Toscana – Berço da arte italiana

  1. Ai Gina, eu também estou morrendo de vontades de voltar… Que bom que gostou do texto.
    Abraço!

    Curtir

  2. Conheço a Toscana e compartilho dos seus pensamentos. A forma como descreveu faz com que eu sinta urgencia em voltar por aquelas banda!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s