Cartão, dinheiro, traveler, VTM: o que levar?

da Folha de S.Paulo

Turista deve alternar formas de fazer seus gastos para evitar surpresas com a fatura do cartão de crédito.

EurosDinheiro vivo

O ideal é não levar tudo em em cash. Uma boa média é calcular um terço do valor total para levar em dinheiro vivo. Faça a conversão antes de ir, para não perder duas vezes com o câmbio.

Tania Borja Gasparian, gerente da Cotação DTVM, explica: “Se o turista vai para o Canadá, deve levar dólares canadenses. Caso leve dólares americanos, sofrerá no Brasil o câmbio do real para o dólar americano e, chegando ao Canadá, perderá de novo na hora de trocar de dólares americanos por canadenses”.

Cartão de crédito

A fatura é calculada com o câmbio do dia de seu fechamento. Com isso, o cartão dá espaço para sustos como ir viajar com o dólar a R$ 1,80 e pagar a conta com o dólar a R$ 2,40. Outra desvantagem são as taxas cobradas pelas bandeiras.

A vantagem é que estabelecimentos comerciais no mundo inteiro aceitam sua utilização. E empresas de aluguel de carro e hotéis costumam pedir a apresentação de um cartão de crédito para o bloqueio de determinada quantia -usada como garantia de pagamento ou cobertura de extras.

Em momentos de turbulência, a dica dos especialistas é tentar usá-lo moderadamente.

Vista travel money (VTM)

O VTM é um cartão de débito pré-pago, recarregável, que pode ser adquirido em dólares e euros.

A vantagem é que o viajante fecha o câmbio no dia em que carregou o cartão. Com isso, não está sujeito a variações cambiais.

Para Alcides Leite, professor de mercado financeiro da Trevisan Escola de Negócios, não é um bom momento para investir no VTM, já que é possível que o dólar recue depois do auge da crise.

Vale lembrar que no Visa Travel Money há uma cobrança de 0,38% de IOF na hora da compra da moeda e uma taxa de R$ 2,50 por saque, independentemente do valor.

Segundo Tania Borja Gasparian, mesmo em países onde a moeda é diferente do dólar e do euro, o cartão pode ser usado. “Se o cliente estiver na Austrália, a Visa fará a conversão da moeda, e o cliente receberá o dinheiro em dólares australianos”, diz. Nesse caso, com a cotação do dia.

Para carregar o cartão, é preciso fazer um DOC ou TED para a empresa, e o valor correspondente em dólares ou euros é liberado.

Traveler cheque

Os cheques de viagem são trocados por dinheiro, em instituições financeiras de vários países, pela taxa de câmbio do dia.

É preciso atentar às taxas sobre o valor trocado, que podem chegar a 10% em países como Argentina e Chile. E certificar-se que o país de destino aceita cheques de viagem.

Como vantagem sobre o dinheiro em espécie, destaca-se a possibilidade de reembolso pelo banco no caso de perda ou roubo.

Na maioria das instituições financeiras, eles só são aceitos com a apresentação do passaporte e com a assinatura do cheque na frente do caixa.

Além de travelers cheques em dólares americanos, há em dólar australiano, dólar canadense, euro, franco suíço, libra esterlina e iene.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s