Antes de Machu Picchu, fique em Lima

Renato Alves (texto e fotos)

O Peru vai muito além de Machu Picchu. Claro que as ruínas do império inca são a maior atração do país na costa do Pacífico. Ponto de visita obrigatório. Mas o país também tem praias e ilhas preservadas, mistérios naturais, museus riquíssimos e um povo receptivo, amigável. E ainda conta com boa infraestrutura turística. Tudo com preços camaradas.

No país distante do Brasil quatro horas e meia (voo Guarulhos-Lima), há decentes  e super bem localizados hotéis três estrelas com diárias a R$ 90 (casal) e refeições completas — confiáveis e saborosas — por menos de dez soles (cerca de R$ 7,30), com refrigerante ou suco incluído. Ah, os táxis são muito, muito baratos também.

A capital

Muita gente que viaja para o Peru não passa por Lima. Segue, em geral, da Bolívia para Puno — para ver o Titicaca — e, de lá, para Cusco — para ver Machu Picchu. Mas a capital peruana não deve passar batida. Ela merece ao menos dois dias cheios. O ideal são três ou quatro.

Lima é a porta de entrada para quem resolve se aventurar em território peruano, principalmente para quem pretende conhecer mais do que Cusco. Na capital, como em toda a encosta do país, a paisagem é árida, composta por grandes montes e montanhas de pura terra e areia. Chuva pra valer não é registrada na cidade há anos.

Pechinchar, sempre

Ao descer no bem cuidado e funcional aeroporto internacional de Lima, você vai se deparar com muitos senhores de terno e gravata oferecendo “táxis especiais”. A maioria, com  preço em dólar. Diga “no, gracias” (você terá que dizer muito isso em Lima!). A mesma viagem de táxi pode sair por 40 dólares ou 40 soles. Só que um dólar vale três soles.

O segredo é deixar o aeroporto e pechinchar com os taxistas na calçada. Os táxis peruanos não têm taxímetros. E há táxis de todos os modelos (antigos e mal cuidados carros de marcas janponesas, em sua maioria) e preços. Mas, na barganha, uma corrida até Miraflores — o melhor bairro para se hospedar — pode sair a até 30 soles.

Buzina, buzina

Como nas grandes cidades brasileiras, o trânsito é caótico. As buzinas são o som das ruas de Lima. Irrita e muito quem mora em Brasília, por exemplo. Os ônibus e as lotações — a maioria velhos e deteriorados, como os táxis — andam sempre superlotados, e todo cuidado é pouco ao sair da região central.

Tomar um ônibus errado e ir parar na periferia da cidade é aumentar as chances de ser assaltado. Por isso, use sempre o táxi. E prefira os parados em pontos em frente a hotéis.

Segurança

Mas o ar muda em bairros como San Isidro e Miraflores, onde mora a elite peruana. Neles se concentram hotéis, bares, boates, feiras de produtos típicos, restaurantes e grandes lojas. Por isso, nas ruas, é comum ver poses para fotos e ouvir conversas em diversas línguas. São também os locais mais seguros da cidade.

Na hora de escolher o hotel, pousada ou albergue, prefira Miraflores. E lá, fique perto da Praça da Catedral (foto acima) ou do shopping Lacomar. Encravado em uma paredão de pedra, de frente para o Pacífico, com ótimos restaurantes suspensos sobre a avenida beira-mar (foto abaixo), o Lacomar é um centro de compras agradabilíssimo, quase todo aberto, diferente dos caxotões do padrão norte-americano.

Na balada

À noite, o Lacomar é o ponto de encontro. Lá ficam algumas das mais badalas discotecas. O centro comercial tem uma área ao ar livre onde rola a paquera. E quem gosta de doces não pode deixar de visitar a loja Helena, que tem as melhores tejas (bombom que pode ser recheado com diversos ingredientes, como noz, chocolate e limão).

No centro de Miraflores fica Huaca Pucllana, um sítio arqueológico que deve ser visitado por quem passa pela cidade. Da cultura lima, povo que habitou a capital entre 200 e 700, o sítio hoje abriga um restaurante, que serve de desculpa para que o turista possa conhecer o lugar à noite. Uma guia apresenta a construção feita com tijolos colocados lado a lado, como se fossem livros em uma estante.

Praça das armas

Quase toda cidade perusana tem praça das Armas, centro comercial e social.

No interior, costuma ser onde crianças brincam de dia, e jovens e famílias se reúnem à noite.

A de Lima foi criada com a fundação da cidade, em 1.535, e nela foi proclamada a independência.

O centro colonial apresenta ao visitante a face europeizada da cidade, com igrejas barrocas do século 16.

Ali fica a catedral, suntuosa, vizinha da sede do arcebispado, que tem uma impressionante varanda entalhada em cedro da Nicarágua, uma madeira fina, que permite entalhes minuciosos (foto ao lado).

Nas catacumbas

Próximo da catedral fica a igreja e mosteiro de São Francisco, de 1.540 (foto abaixo). É a mais fascinante atração do centro histórico de Lima. Dentro do mosteiro está o museu das Catacumbas, passeio bem curioso.

Tudo começa no pátio interno do mosteiro, adornado com azulejos sevilhanos. O lugar guarda silêncio: é que junto dos turistas caminham os monges — o mosteiro, em atividade, abriga 50 deles.

Então entra-se no tal museu das catacumbas. São corredores escavados que serviram como cemitério público. Os ossos foram separados, de forma que hoje há seções de fêmures, crânios, tíbias e afins. O grande final é um tanque redondo com diversos ossos organizados de maneira concêntrica formando um desenho mórbido.

Documentos para entrar no Peru

Passaporte com validade mínima de seis meses
Certificado internacional de vacinação indicando vacina contra a febre amarela

Opções de pacotes para o Peru

Da Folha de S.Paulo

Sem aéreo

US$ 424
Duas noites em Lima e três em Cusco, com café, city tour e ida a Machu Picchu. Na Apex: 0/xx/11/ 3722-3000; www.apextravel.com.br.

US$ 453
Duas noites em Lima e três em Cusco, com café e um almoço. Inclui passeios, ida a Machu Picchu e traslados. Na Beeline: 0/xx/11/ 3171-1544; www.beeline.com.br.

US$ 5.995
Duas noites em Cusco, três em Yucay e duas em Machu Picchu, com pensão completa. Inclui ida a sítios arqueológicos, caminhada a Urubamba, trilha inca e traslados. Na Butterfield & Robinson: 0/xx/21/ 2259-8292; www.butterfield.com.

Com aéreo até US$ 1.000

US$ 694
Três noites em Lima, com café, city tour, traslados e seguro. Na Natural Mar: 0/xx/11/3214-4949; www.naturalmar.com.br.

Até 1.500

US$ 1.104
Duas noites em Lima e duas em Cusco, com café, um almoço, traslados e ida a Machu Picchu. Na Alemar: 0/xx/11/3815-7585; www.alemar.com.br.

US$ 1.157
Duas noites em Lima e três em Cusco, com café. Inclui traslados, tours e ida a Machu Picchu, com almoço. Na Brazilian Summer: 0/ xx/11/5096-2230; www.brazilian-summer.com.br.

US$ 1.169
Duas noites em Lima e duas em Cusco, com café, traslados e ida a Machu Picchu, com almoço. Na Majestur: 0/xx/11/3021-5008; www.majestur.com.br.

US$ 1.180
Duas noites em Lima e três em Cusco, com café, tours e visita a Machu Picchu, com almoço, e traslados. Na Sulamerica: 0/xx/11/ 3034-5800; www.sulamericaturismo.com.br.

US$ 1.258
Um noite em Lima, duas em Cusco e uma em Aguas Calientes, com café. Inclui ida a Machu Picchu, traslados e seguro. Na CVC: 0/xx/11/ 2146-7011; www.cvc.com.br.

US$ 1.279
Duas noites em Lima, três em Cusco e uma em Machu Picchu, com café, passeios, seguro e traslados. Na Nascimento: 0/xx/11/3156-9944; www.nascimento.com.br.

US$ 1.364
Quatro noites de hospedagem, em Lima e em Cusco, com café da manhã diário e excursão a Machu Picchu, com um almoço. Inclui passeios e traslados. Na Agaxtur: 0/ xx/11/ 3067-0900; www.agaxtur.com.br.

US$ 1.386
Duas noites em Lima e três em Cusco, com café, city tour e passeio em Machu Picchu, com almoço. Na Visual: 0/xx/11/3235-2000; www. visualturismo.com.br.

Até US$ 2.000

US$ 1.509
Uma noite em Lima, duas em Cusco, uma no vale Sagrado e uma em Machu Picchu. Com café, passeio e guia. Na Raidho: 0/xx/11/3704-3111; www.raidho.com.br.

US$ 1.520
Uma noite em Lima, quatro em Cusco e uma no vale Sagrado, com café. Inclui city tours e ida a Machu Picchu. Na Ambiental: 0/xx/3818-4600; www.ambiental.tur.br.

US$ 1.705
Duas noites em Lima, duas em Cusco, uma em Puno e três em La Paz, na Bolívia, com café e tour pelo lago Titicaca. Na Mondial: 0/xx/ 11/3259-6922; www.mondialturismo.com.br.

US$ 1.720
Sete noites, passando por Lima, Cusco e Aguas Calientes, com café. Inclui ida a Machu Picchu, traslados e guias. Na Venturas: 0/xx/11/ 3872-0362; www.venturas.com.br.

US$ 1.754
Duas noites em Lima, duas em Cusco e uma em Machu Picchu, com café. Inclui passeios e traslados. Na RCA: 0/xx/11/3017-8700; www.rcatours.com.br.

US$ 1.797
Três noites em Lima, duas em Cusco, uma no vale Sagrado e uma noite em Aguas Calientes, com café, dois almoços, passeios e guia. Na Designer Tours: 0/xx/11/2181-2929; www.designertours.com.br.

US$ 1.936
Duas noites em Lima, duas em Arequipa, duas em Cusco, duas em Machu Picchu e duas em Puno. Com café, passeios e traslados. Na HR: 0/xx/11/5584-5808; www.hrturismo.com.br.

Até US$ 2.700

US$ 2.124
Oito noites, passando por Cusco, Lima, Machu Picchu, Puno e vale Sagrado, com café, um lanche e um almoço. Inclui ida ao lago Titicaca, guia e traslados. Na AdventureClub: 0/xx/11/5573-4142; www.adventureclub.com.br.

US$ 2.284
Duas noites em Lima, três em Cuzco e uma em Aguas Calientes, com café. Inclui passeios e ida a Machu Picchu, com traslados e um almoço. Na Teresa Perez: 0/xx/11/3365-4000; www.teresaperez.com.br.

US$ 2.664
Treze noites em hotel, uma em casa de família, três em camping e duas em lodge, com 15 refeições. Passa por Lima, Arequipa e lago Titicaca. No STB: 0/ xx/11/3038-1555; www.stb.com.br.

Anúncios

3 comentários em “Antes de Machu Picchu, fique em Lima

  1. Felipe, realmente o senhor não teve oportunidade de conhecer o que de bom há em Lima.

    Em Miraflores e San Isidro ficam os melhores restaurantes, onde você come peixes e mariscos do Pacífico servidos com acompanhamentos muito bem preparados. Tem até empanada não oleosa.

    Quanto à sujeira e o trânsito, o senhor tá coberto de razão. Principalmente no que diz respeito ao cnetro e periferia da cidade.

    Mas, acreditem, vale duas ou três dias na capital peruana. Basta ir aos lugares certos.

    Curtir

  2. Lima é muito suja. PArece são paulo. Voce sai de la com a unha preta, meleca no nariz e a pele oleosa depois de um dia. Dei um mega rolé no centro historico e depois fomos andando pra bairros mais inospitos, onde fizemos boas fotos. A cidade me parece meio feia mesmo. Mas, claro, é leviano tecer qualquer comentario passando apenas uma tarde. Nao deu, por exemplo, pra ir a Miraflores.

    Ah, um detalhe universal no Peru: comida ruim para caralho. Empanada oleosa, fétida, em tudo quanto é canto. E tem uma parada que parece uma pamonha, mas está, fácil, entre as dez coisas mais horríveis que já comi na vida.

    Em tempo: tudo muito barato. Taxi e principalmente comida. Mais barato que no Peru, só no Equador.

    Abs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s