Festa Literária de Pirenópolis

Júlia Borba, do Correio Braziliense

Com objetivo declarado de atrair os turistas consumidores de cultura, Pirenópolis, no interior goiano, realiza, entre quinta-feira e domingo próximos, a 3ª Festa Literária da cidade (Flipiri). O evento reúne quase 50 escritores, 300 músicos das universidades federais de Goiás e do Rio de Janeiro e pretende atrair 10 mil pessoas. Se esse número for alcançado, todas as 3 mil pousadas e hotéis devem ficar lotados. A recomendação da Central de Turismo de Pirenópolis é que os interessados apertem o passo e façam a reserva até, no máximo, amanhã.

O secretário de Turismo de Pirenópolis, Sérgio Rady, conta que o evento movimenta todos os segmentos da cidade, dos bares e restaurantes até as lojas de artesanato, farmácias, mercadinhos e borracharias. “Apesar de a cidade ficar cheia, não há tumulto. Nosso público não é de farra, o foco é outro”, destaca.

Embora nenhuma grande estrutura seja erguida para a festa, que tem como cenário as casinhas coloridas e as ruas de paralelepípedos, a preparação começa um ano antes, com a escolha do tema. “Vamos falar sobre poesia e faremos uma homenagem à escritora goiana Cora Coralina. Todos esses detalhes foram decididos imediatamente após a segunda edição da festa, no ano passado. Esse prazo, longo, é necessário até mesmo para nos dar tempo de conseguir patrocínio”, explica o secretário de Cultura de Pirenópolis, Gedson Edmar de Oliveira.

O evento recebeu investimento de quatro empresas e vai custar R$ 200 mil. “Não temos a intenção de seguir o mesmo estilo da Festa Literária Internacional de Paraty, que usa cerca de R$ 10 milhões por ano. Vamos seguir um rumo diferente, com foco na participação local, da comunidade”. Segundo ele, mais de 20 autores que estarão presentes ao festival colaboraram diretamente com a organização, ajudando até a carregar caixas de livros.

Dinheiro na caixinha

A próxima edição prevê um orçamento mais robusto, de R$ 800 mil. Também promete oferecer maior conforto aos participantes e turistas. Com mais dinheiro em caixa, a feira se transforma diante do público. Quem acompanhou o lançamento, em 2009, presenciou uma festa mais simples, com limites definidos pela quantia disponível à época: R$ 40 mil reais e apenas um patrocinador. “Cada vez mais jogamos luz sobre o que queremos trazer para a cidade: uma programação cultural, gastronômica e musical de qualidade. Nós escolhemos nossos turistas, não queremos a massa, baderneiros. Nos esforçamos para atrair quem tem poder aquisitivo maior, apreciadores de literatura, jazz, blues e fotografia”, informa o secretário de Cultura.

Os comerciantes ficaram entusiasmados com a previsão orçamentária da prefeitura para o evento. Tanto é que, pela primeira vez, ofereceram cortesias para hospedar os autores que participam do festival. A postura, diferente daquela de anos anteriores, também deixa transparecer a euforia dos moradores e empresários. O movimento aumenta tanto que pousadas se recusam a fechar reservas por apenas uma noite. Os valores, que normalmente variam de R$ 60 a R$ 120, não sofrem grandes alterações, mas fica mais difícil encontrar acomodações.

Apesar de a abertura estar prevista para as 19h de quinta-feira, a festa começa um dia antes, nas salas de aula. Das 10h às 20h, alunos do infantil ao ensino médio receberão a visita de autores. Todos eles tiveram acesso às obras para poder apresentar interpretações do que viram nas páginas impressas. Na quinta-feira, dia da abertura, as atividades começam ainda mais cedo, às 8h. Ao todo, 25 escolas receberão as visitas e também os exemplares, que farão parte do acervo das instituições. Acompanhe parte da agenda deste fim de semana e acesse a programação completa na página do evento na internet (www.flipiri.com.br).

Programação de sábado

» Para adolescentes
Das 9h às 10h – Falando sobre os livros do PAS/SAS e vestibulares, com Lucília Garcez. Local: Cinema
Das 9h às 9h30 – Quem é você, afinal?, com Jonas Ribeiro. Local: Palco da praça

» Público infantil
Das 10h às 10h30 – Maria Preta Antonias dos Olhos d’Água, com Nilva Belo. Local: Palco da praça
Das 10h às 10h30 – Conversa com verso, com Marco Miranda. Local: Teatro
Das 11h às 12h – Tecendo histórias: nos fios do dia a dia se costura a fantasia, com Alessandra Roscoe. Local: Teatro

» Atividades livres
Das 11 às 13h – Sessão de autógrafos e talk show Mediação, com Cristiane Sobral. Local: Palco da praça
Das 14h às 15h – Vila Boa de Goyaz, documentário de Vladimir Carvalho. Local: Cinema
Das 18 às 19h – Homenagem afetiva a Cora Coralina, com leitura do cordel do poeta João Bosco Bezerra Bonfim, feita pelo músico Victor Batista. Local: Palco da praça
Das 21 às 22h – Hip-hop e ancestralidade, pelo Grupo Aquilobando. Local: Palco da praça

» Oficinas
Das 9h às 12 – A leitura através do movimento, com Daraína Pregnolatto
Das 9h às 12h – A arte de escrever bem, com Dad Squarisi
14h às 17h – O prazer da poesia, com Lucília Garcez
14h às 17h – A arte de contar história, com Raquel Ferreira

Anúncios

Um comentário em “Festa Literária de Pirenópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s