A Assis de São Francisco está em festa

Assis 1

Diego Amorim (texto e fotos)

A cidade de Assis está em festa por Francisco. A terra do santo que inspirou o nome do novo papa tornou-se ainda mais mística para os católicos quando o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio decidiu como passaria a ser chamado. Moradores torcem para que a cidade seja uma das primeiras a serem visitadas pelo pontífice.

Em ruelas e templos cheios de significado no alto de uma colina na região da Umbria, 200km ao norte de Roma, a vida do morador mais famoso de Assis ainda emociona. O jovem rico que abdicou da nobreza para viver com os pobres revolucionou a Igreja no início do século 13. Hoje, serve de exemplo para o chefe da instituição em tempos de dificuldade.

“Francisco: era disso que a Igreja estava precisando”, vibra o frei Evilásio de Andrade, recém-chegado ao Sacro Convento de Assis, após quase 10 anos de trabalho pastoral em Brasília. Ele é o único brasileiro entre os quase 70 franciscanos que vivem no local e comemoraram a escolha do nome do papa na noite da última quarta-feira.

Assis 2

Quando Francisco foi apresentado ao mundo, os sinos da basílica que leva o nome do “pobrezinho de Assis” badalaram com força, e champagnes foram estouradas. “Desde então, a cidade encheu, parece até que o inverno virou verão”, diz Andrade, enquanto caminha em uma área reservada do convento, sob arcos góticos construídos no século 17.

Como tantas outras ordens religiosas, a franciscana viu definhar o número de vocações nos últimos anos. O ineditismo de um papa com o nome do fundador traz de volta a esperança em novos chamados. “Estamos nos sentindo honrados com a escolha e, ao mesmo tempo, corresponsáveis com a missão do papa”, comenta o frei brasileiro.

Santa rebeldia

Na entrada da cidade, dentro da Basílica de Nossa Senhora dos Anjos, está a Porciúncula, uma igrejinha de pedras que Francisco de Assis teria ajudado a erguer depois de ouvir dos céus a ordem de “reconstruir a Igreja”. Não se tratava, porém, da estrutura física. Ao entender isso, o jovem esnobou a riqueza do pai, desafiou o bispo e provocou mudanças profundas nas bases católicas da época.

Conta a história que Francisco, certa vez, convidou os amigos para “pregar o Evangelho”. Deram uma volta na praça e, sem dar uma palavra, voltaram para o convento, onde o santo ensinou que o jeito simples de ser basta para passar uma mensagem. Francisco, o papa, abraçou desafio semelhante.

Assis 3

Com sinais claros de que terá a simplicidade como marco do pontificado, o novo líder dos católicos já conquistou a irmã gaúcha Natalina Stringari. “Será que ele vai usar o papamóvel?”, questionava ela, ao conhecer o exato lugar onde o jovem de Assis teria morrido, aos 45 anos, em 3 de outubro de 1226. A morte era chamada por ele de “irmã”.

A tumba de Francisco, no subsolo da basílica, recebeu a visita de vários cardeais antes do conclave, entre eles os brasileiros dom Geraldo Majella e dom Odilo Scherer. Não são poucos os fiéis de todas as partes do mundo que se entregam às orações no local onde está o corpo do santo.

Grávida de quatro meses, a advogada mineira Grace Kely Lima, 33 anos, chorou ao receber a bênção de um frade, na saída do templo. “A Igreja tem de retornar à sua essência, às coisas simples”, desejava ela, católica praticante. “Este papa vai trazer de volta um caminho de humildade”, dizia o médico peruano Roger Palma, 32 anos, que também viajou à cidade para conhecer os caminhos de Francisco.

Nascido e criado em Assis, o dono de restaurante Antonio Cianetti, 53 anos, espera o mesmo que os turistas. “É um belo momento para resgatar os valores mais importantes da Igreja”, comentou, na expectativa de receber mais clientes após a confirmação de que o papa, de fato, se inspirou no santo conterrâneo para decidir o nome.

Nos últimos dias, o taxista Mario Terenze, 46, transportou mais passageiros que o normal. “Depois do papa Francisco, muita gente que estava em Roma aproveitou para conhecer logo Assis”, conta. Terenze é outro que crê no turismo mais aquecido nas próximas semanas, mesmo em baixa temporada e com os termômetros marcando temperaturas negativas.

Assis 4Um restaurador

Filho de Pedro e Pica Bernardone, Francisco de Assis nasceu entre 1181 e 1182, na cidade italiana de Assis. Seu pai era um rico e próspero comerciante. Quando jovem, Francisco sonhou com as glórias militares, procurando alcançar o status que sua condição exigia. Aos 20 anos, foi preso após lutar na guerra contra a cidade de Perusa. Nessa época, começou a ter contato com o Evangelho. Quatro anos depois, pediu em prece que Jesus iluminasse seu caminho e teria ouvido uma voz dizer: “Francisco, restaura a minha casa decadente”. Esse teria sido seu despertar para a vida religiosa.

Após renegar a riqueza do pai, Francisco de Assis se entregou a um estilo de vida fundado na pobreza, na simplicidade de vida e no amor total a todas as criaturas. Três anos depois, autorizado pelo papa Inocêncio III, Francisco e onze companheiros fundaram a Ordem dos Frades Menores, mais conhecidos como franciscanos. Eles foram responsáveis pela renovação do catolicismo de seu tempo.

Diferentemente dos religiosos da época, que costumavam se enclausurar nos mosteiros, os franciscanos tinham o hábito da pregação itinerante e acreditavam que o evangelho deveria ser seguido à risca. Francisco de Assis morreu no anoitecer do dia 3 de outubro de 1226, em uma choupana.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s