Um charmoso roteiro para percorrer o Jardins, em São Paulo

Em uma cidade grande como São Paulo, encontrar um bairro com fácil acesso para as melhores atrações e muito bem frequentado não é uma tarefa tão simples. A maior metrópole do Brasil tem tantos bairros que é praticamente impossível ter uma resposta precisa de quais e quantos são. Mas é certo que qualquer pessoa, mesmo que não conheça tão bem a cidade, certamente saberá pelo menos mencionar alguns dos melhores, e um deles, sem dúvida, é o Jardins, um dos mais nobres da metrópole.

O Jardins é referência em termos de sofisticação, variedade e localização. A região chama a atenção pela qualidade dos restaurantes, bares e cafeterias, além da presença das lojas de grandes grifes, museus, livrarias e teatros. O Jardins ainda tem a seu favor a proximidade com importantes vias da capital, como as avenidas Paulista, 9 de Julho e Brigadeiro Luiz Antônio, o que facilita os deslocamentos.

Confira algumas dicas de passeios:

Museus

MASPO museu é um dos cartões-postais mais visitados de São Paulo e do Brasil. O prédio guarda o mais importante acervo artístico da América Latina, com cerca de 8 mil peças. O prédio em si já é um ícone, projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi. Avenida Paulista, 1578.

MASP

MIS O Museu da Imagem e do Som tem no acervo mais de 200 mil itens como fotografias, filmes, vídeos e cartazes. Além de exposições e mostras de cinema regulares, o MIS possui uma programação cultural diversificada voltada para todos os públicos e abre espaço para novos artistas. Av. Europa, 158 – Jardim Europa.

MuBE Dedicado a esculturas e arquitetura, o Museu Brasileiro da Escultura também é espaço para festas ao ar livre que acontecem em alguns finais de semana. Av. Europa, 218.

Fundação Cultural Ema Klabin  O museu abriga um acervo de 1.545 obras, entre pinturas, mobiliário, peças arqueológicas e decorativas, reunidos pela empresária e colecionadora Ema Gordon Klabin, que morava no local. Além disso, promove atividades culturais e educativas como shows musicais, cursos, oficinas e exposições. Rua Portugal, 43, Jd. Europa.

Fundação Cultural Ema Klabin

Teatros

Teatro Procópio Ferreira Construído em 1948 e reformado e modernizado em 2005, o teatro é um dos principais pontos culturais de São Paulo, com programação intensa e de qualidade. Seu palco foi por muitos anos cenário do programa humorístico Sai de Baixo, da Rede Globo. Endereço: Rua Augusta, 2823.

Teatro Procópio Ferreira

Teatro Augusta – Fundado em 1973 e totalmente reformado em 1999, é um ícone da vida teatral paulistana. Grandes atores e autores já passaram por suas duas salas.  Endereço: Rua Augusta, 943.

Teatro Eva Herz Pequeno e aconchegante, nasceu como um dos diversos espaços da ampla Livraria Cultura do Conjunto Nacional, outro lugar de visita obrigatória. A livraria é uma das mais icônicas de São Paulo, bem como o prédio onde está localizada, o Conjunto Nacional, pois foi o primeiro edifício construído na Avenida Paulista. Endereço: Conjunto Nacional, Av. Paulista, 2300.

Arte

Galeria Romero Britto – O branco do grande espaço se mistura a cores alegres, características do artista Romero Britto. A arte de estilo pop e despojado, onde Picasso é a grande inspiração, fez do pernambucano radicado nos Estados Unidos um dos artistas mais prestigiados da atualidade. Para quem é fã, na galeria são oferecidas serigrafias, esculturas monumentais e miniaturas, além de objetos de arte colecionáveis, posters, cadernos, louças, entre outros. Rua Oscar Freire, 562, Jardins.

Galeria Luisa Strina Criada por Luisa Strina, é a mais antiga do país, em funcionamento desde 1974, e representando 43  artistas, como Robert Rauschenberg, Cildo Meireles e Olafur Eliasson. Considerada a galerista mais influente e poderosa do país, Luisa recebeu essa fama depois de ter seu nome, em 2012, na lista dos 100 mais poderosos de arte, da revista britânica “ArtReview”. Em 2014, apareceu na revista americana “Vanity Fair” entre as 14 “prima galleristas” do planeta, retratada por Annie Leibovitz – uma das maiores fotógrafas de todos os tempos. Rua Padre João Manuel, 974-A, Jardim Paulista.

Bicicletas, a nova tendência da metrópole

Apesar da imensidão de pessoas e carros que tomam conta das ruas de São Paulo, a maior metrópole do Brasil dá vez aos ciclistas aos domingos. O ponto principal é a Avenida Paulista, que, fechada para carros, é tomada por adultos e crianças. Lá acontecem empréstimos de bikes com duração de uma hora e é uma parada estratégia para quem deseja passear pela avenida e, de quebra, conhecer o Masp e o Mirante 9 de Julho, atrás do museu. Mas a cidade está repleta de estações patrocinadas por bancos privados onde é possível utilizar bikes gratuitamente, em qualquer dia ou horário, mediante cadastro.

Parques

Trianon (Parque Tenente Siqueira Campos) – Fundado em 1892, é uma verdadeira reserva de Mata Atlântica no meio da selva de pedra. O parque Trianon está no coração de São Paulo, na Avenida Paulista, e abriga uma flora repleta de espécies exóticas, além de animais silvestres e aves variadas. Uma de suas entradas está em frente ao Masp. Ocupa dois quarteirões e tem área total de 48.600 m². Aparelhos de ginástica também são encontrados no local. Endereço: Endereço: Rua Peixoto Gomide, 949.

parque-trianon-SP

Mário Covas – Este parque, também na Avenida Paulista, na esquina com a Alameda Ministro Rocha Azevedo, é bem mais recente e menor que o Trianon, mas igualmente agradável. Fundado em 2010, tem 5,4 mil m². Endereço: Avenida Paulista, 1.853.

Crianças

Os pequenos também têm vez na metrópole. Veja alguns lugares que, com certeza, eles vão adorar em um agradável passeio pelo Jardins.

Avenida Paulista – Aos domingos, a Paulista é de todos. Fechada para carros, é lá que as famílias costumam se reunir para entreter seus filhos. Piquenique e passeios de bike são ideais.

Livraria Cultura –  A escultura de um dragão é um chamariz para a criançada. Cercado por almofadas, o lugar foi pensado para os pequenos terem contato com os livros. O acervo deste espaço é destinado ao público infantil a partir de um ano, mas a livraria tem seções dedicadas a todos os estilos e faixas etárias. Atividades culturais também fazem parte da agenda infantil da livraria. Conjunto Nacional, Avenida Paulista, 2.073.

Sorveteria Ben & Jerry’s –  A gigante americana, ícone dos melhores parques temáticos da Flórida, é reconhecida por oferecer somente sorvetes importados dos EUA. Entre os sabores, destaque para os de chocolate chip cookie dough (baunilha com biscoito de chocolate) e cherry garcia (com pedaços de cereja). Rua Oscar Freire, 957.

Lanchonete da Cidade – Para quem gosta de sanduíches, a lanchonete é uma boa pedida. Consagrada na cidade pelos hambúrgueres grelhados, o espaço também se destaca pelos cachorros-quentes que oferece e pelo estilo retrô da ambientação. Alameda Tietê, 110.

Cristallo – A tradicional rede de confeitaria, criada em 1953, conta com uma linha completa de mais de 200 itens, entre tortas, chocolates e petit-fours. Na rua Oscar Freire – um dos doze endereços da rede – é comum encontrar mesinhas dispostas na calçada, sempre cheias de clientes. Rua Oscar Freire, 914 – Cerqueira César.

Pet Friendly

Para quem adora viajar, mas não curte a ideia de deixar os animais de estimação sozinhos em casa, o Etoile Jardins épet friendly, aceitando animais de pequeno porte. O hotel disponibiliza também simpáticos bebedouros que ficam localizados na entrada, para saciar a sede do animalzinho na volta de um gostoso passeio pelo bairro.

Além do hotel, o Jardins é recheado de opções para os bichinhos, como pet shops, locais especializados em comidas pet e restaurantes que permitem a entrada deles.

Padaria Pet Engana-se quem acha que padaria é apenas para humano. Na Oscar Freire, é possível encontrar uma padaria destinada ao seleto grupo de animais domésticos, onde são servidos sucos, doces e até cervejas, todos feitos especialmente para os bichinhos. Rua Oscar Freire, 502.

Marakuthai – Para quem gosta de estar sempre acompanhado do pet, mesmo na hora da refeição, o restaurante Marakuthai permite a entrada de animais. A calçada, coberta por um deck de madeira, também tem mesas abertas aos pets. Alameda Itu, 1618.

Baladas

Número O bar e balada Número é um dos points para quem gosta de curtir a noite regada a luxo. Conhecido por ser frequentado por celebridades tem bar com ambiente intimista e decoração requintada. As sextas, a música eletrônica comanda no subsolo do bar. Rua da Consolação, 3585.

Chez Oscar – Para quem curte um restaurante com clima de balada, Chez Oscar tem luz baixa, música alta na medida e decoração moderna. Lá, as pessoas podem degustar os pratos oferecidos e até arriscar na pista de dança. Endereço: Rua Oscar Freire, 1128.

Gastronomia

Figueira Rubaiyat – O luxuoso restaurante virou também ponto turístico da cidade por causa da centenária figueira que enfeita o local. No cardápio, as carnes são sucesso. Rua Haddock Lobo, 1738.

Rodeio Conhecido pela picanha fatiada, carro-chefe do estabelecimento, a churrascaria oferece, além de rodizio, pratos à la carte no qual o cliente escolhe também os acompanhamentos. Rua Haddock Lobo, 1.498, Jardim Paulista.

Mori Ohta Sushi O badalado restaurante especializado em rodizio japonês tem espaço para 180 pessoas. Com som ambiente, lounge, serviço de bar para espera e balcões de sushi-bar, o restaurante também se destaca pela carta de drinques criada exclusivamente por Paulo Ravelli, formado em mixologia no Japão. Rua da Consolação, 3610, Cerqueira César.

MYK Comandado pela chef Mariana Camargo, expert em culinária e cultura gregas, o restaurante oferece um cardápio originário do país, com pratos mediterrâneos tradicionais e contemporâneos, como peixes, cordeiros, saladas, além de queijo e iogurte. O restaurante também chama atenção pela arquitetura clean que remete à Grécia, com paredes brancas, pedras e madeira clara. Rua Peixoto Gomide, 1972, Jardins.

Paris 6 Bistrô Moderno, o bistrô francês é frequentado por artistas que dão nome aos pratos do cardápio. A fama faz dele um point tanto de paulistanos quanto de turistas. Rua Haddock Lobo, 1240, Cerqueira Cesar.

Jorge Restaurante Restaurante do Etoile Hotels Jardins, oferece cardápio com pratos preparados, preferencialmente, com produtos orgânicos. Charmoso e agradável, com grandes janelões com vista para as árvores, o restaurante oferece uma variedade de pratos quentes e saladas diversas, frescas e deliciosas, que atendem a todos os gostos. Outro serviço oferecido pelo restaurante é o café da manhã à la carte, com diferentes opções, algo que confere ar ainda mais distinto ao local. Rua José Maria Lisboa, 1000. S

Compras

Rua Oscar Freire e arredores – A região formada pelas ruas Oscar Freire, Augusta, Bela Cintra e Alameda Lorena é o paraíso das compras para quem gosta de luxo e requinte. Recheado de lojas de grifes nacionais e internacionais, em meio a ruas arborizadas, quem anda pelo local tem uma infinidade de opções que vão de vestuário a obras de arte. Uma tentação atrás da outra para quem deseja adquirir produtos de qualidade. Além do forte comércio, o quadrilátero tem uma cena gastronômica e noturna agitada.

 

meeting-vera-lopes-at-santo-grao-rua-oscar-freire-sao-paulo.jpg

 

Batel,o bairro mais charmoso de Curitiba

Batel 1

Curitiba também se destaca pela diversidade de opções de lazer que vão além dos tradicionais pontos turísticos como Jardim Botânico e Museu Oscar Niemeyer. Quem pretende ir à cidade em busca de diversão e sofisticação e quer ter uma experiência muito próxima de quem vive na capital paranaense, encontra no Batel uma boa opção. Conhecido por ser o bairro mais nobre de lá e pelo ar residencial, ele conta com diversos atrativos, além de ser um ponto de partida central para outras regiões.

E para quem pretende passar alguns dias em Curitiba, mais especificamente no Batel, o Nomaa (hotel-boutique) indica os melhores lugares. Um roteiro feito especialmente para quem deseja fazer tudo a pé ou levar pouco tempo de carro. Confira:

1 – Praça da Espanha

A praça é também um espaço cultural, sendo point de crianças, jovens e adultos. No sábado, a feira de antiguidades é tradição. Mas por lá também acontecem exposições, atividades de pintura, shows, entre outros. Endereço: Rua Cel. Dulcídio, s/n.

2 –SIM Galeria

Para quem busca uma programação cultural de qualidade, a SIM Galeria, espaço especializado em arte contemporânea, promove exposições de artistas nacionais e internacionais.Endereço:Alameda Pres. Taunay, 130 A.

3 – Praça do Japão

Construída em homenagem aos imigrantes japoneses e inspirada nos clássicos jardins orientais, a praça abriga a Casa da Cultura – biblioteca de literatura nipo-brasileira – e uma loja de artesanato. Nelas ocorrem aulas de meditação e origami, entre outras atividades. Endereço: Av. Sete de Setembro, s/n.

Praça do Japão.jpg

4 – Restaurante Manu

Eleito o restaurante do ano, em junho de 2015, por um dos mais importantes prêmios da gastronomia brasileira, o Melhores do Ano Prazeres da Mesa/Cacau Show, o Manu é conhecido pelos pratos feitos com ingredientes e temperos regionais. Endereço: Alameda Dom Pedro II, 317.

5 – Avenida Vicente Machado

Na avenida há uma concentração de estabelecimentos, entre bares e botecos, que atendem a todos os gostos. O clima boêmio e descontraído faz da avenida um dos points principais de quem busca diversão no Batel.

6 – Hard Rock Café

Conhecido mundialmente pelo tema rock’n’roll, o restaurante é tradicional por servir hambúrgueres e clássicos americanos. É o único da franquia no Brasil. Endereço: Rua Buenos Aires, 50.

7 – Avenida do Batel

Composta por restaurantes e bares, a Avenida do Batel é parada certa para quem está atrás de gastronomia ou compra, já que é lá que também está localizado o Shopping Pátio Batel, o mais sofisticado da cidade, com grifes internacionais como Tiffany, Prada e Versace.

Batel 2

8 – Sorveterias

O bairro é recheado de opções de sorveterias dos mais diversos estilos, entre elas: Bacio Gelato, Freddo Gelateria, Diletto, Cold Stone Creamery e Los Paleteros. Todas ficam nas redondezas da Praça da Espanha.

9 – Lucca Cafés Especiais

Cafeteria tradicional em servircafés especiais feitos com grãos selecionados etorrados artesanalmente, oriundos de fazendas da região.Endereço:Alameda Pres. Taunay, 40.

Lucca Cafés Especiais

 

10 hostels brasileiros onde trabalhar em troca de hospedagem grátis

Do Nômades Digitais

Todo mundo quer viajar, mas a grana é curta. Para a sorte de muitos, tem crescido bastante o número de ofertas em hostels baseados no chamado Work Exchange (“intercâmbio de trabalho”, em tradução livre), que seria na troca de uma cama e refeições por algumas horas semanais de trabalho. Ou seja, dá para ter hospedagem grátis e economizar durante a sua viagem.

Sites como o Worldpackers reúnem hostels com oportunidades de trabalho baseados na moeda de troca. Como o Nômades Digitais aprova a ideia, nada melhor do que mostrar 10 alternativas ao redor do Brasil para que você agende sua próxima viagem já de olho na economia. Olha só:

1. Sítio Passarim – Mato Grosso do Sul
Em Rio Verde, o hostel cercado pela natureza fez um baita sucesso neste post. O local aceita a troca de trabalho em bioconstrução por hospedagem e alimentação. Os viajantes trabalham das 8h às 12, tendo a tarde livre para aproveitar o visual paradisíaco e se divertir nos rios.

2. Floripa Surf Hostel – Florianópolis
A 200 metros da praia do Campeche, o hostel de ar surfista tem entre suas qualidades almoço grátis seis vezes por semana, lavanderia, bike e pranchas de surfe gratuitas também. Pessoas amigáveis são bem-vindas e podem trabalhar na recepção, por exemplo.

3. Porto Backpackers – Porto de Galinhas
Próximo a bela praia de Ipojuca, o pequeno hostel tem infraestrutura simples, mas oferece o básico que todo o viajante precisa. O trabalho necessário, no geral, inclui serviços de limpeza e recepção, onde o hóspede atende ligações, ajuda nos check-ins e check outs, além de responder questões gerais dos visitantes. São quatro horas por dia, sendo uma folga por semana.

4. Purple House Hostel – São Paulo
Próximo a Av. Paulista e a duas estações de metrô, este hostel tem como objetivo fazer com que todos se sintam em casa. O trabalho de 40 horas semanais inclui três dias de folga e exige inglês intermediário. As vagas são para promotor de festas, administração, limpeza e recepção.

5. Pousada Jacarandá em Trancoso – Brasil
Localizado numa das praias mais cobiçadas do Brasil, esta pousada procura um viajante que saiba fazer reparos e trabalhe durante 4 horas por dia, com direito a dois dias de folga. Há vagas ainda para instrutor de ioga, que trabalhe por 1 hora e tenha uma folga por semana, além de recepcionista que fique disponível por 5 horas por dia, com direito a dois dias de folga.

6. Cidade Baixa Hostel – Porto Alegre
No quarteirão mais boêmio da cidade, pode ser difícil querer trabalhar, mas vai valer a pena. Comandado por uma família, o hostel precisa de ajudantes nas áreas de marketing, incluindo social media, fotógrafo, videomaker e desenvolvedor web, além dos serviços mais básicos como recepção, limpeza e alguém para o turno da noite.

7. Arawak Jungle Hostel – Amazonas

Em Iranduba, mais precisamente na praia Acutuba – que fica no Rio Negro -, este hostel no meio da floresta tropical pode ser tudo o que você precisa para relaxar. Mas antes, é preciso colocar a mão na massa. Durante cinco horas por dia e com duas folgas semanais, o viajante pode ajudar a cuidar do jardim, do cultivo, da limpeza ou da arrumação.

8. Lá em Casa Hostel – Belo Horizonte
Uma grande casa onde todos convivem bem e colaboram entre si abriga os mochileiros em BH. Fundado por um casal que trabalha com cinema, a dupla precisa de ajuda em seus projetos, portanto o trabalho envolve arte, pintura e decoração, desenvolvimento web e, para quem não se envolve em meios artísticos, há vagas na recepção. São 24 horas de trampo por semana e três folgas.

9. Guanaaní Hostel – Espírito Santo
Na região central de Vitória, o simpático hostel numa casinha amarela preserva o design charmoso dos anos 1920. Entre as vagas de trabalho disponíveis, somados em 38 horas semanais, estão recepcionista e arrumação dos quartos. O nível dos idiomas exigidos são iniciante em inglês e/ou português.

10. Alma de Santa – Rio de Janeiro
O hostel em Santa Teresa tem um quarto disponível para aqueles que desejam e podem trabalhar em troca de cama, comida e roupa lavada. O espaço procura viajantes que falem inglês e português para ajudar na recepção durante 5 horas diárias durante a noite, com 2 dias de folga.

15 piscinas de hotéis para se refrescar no verão brasileiro

imagem_release_564309

Já sabe em qual piscina você irá mergulhar em janeiro? Ainda não? Então veja essa incrível seleção de piscinas em hotéis que preparamos para que você possa escolher onde e quando irá se refrescar durante a estação mais quente do ano.

1- Radisson Faria Lima – São Paulo (SP)

Que tal se refrescar nas alturas em uma piscina coberta? Situada no 21º andar do Hotel Radisson Faria Lima, a piscina do complexo hoteleiro dispõe de 17m de comprimento e oferece aos hóspedes uma vista privilegiada de 360º para a cidade. Diárias a partir de R$ 280 por pessoa, com café da manhã.

imagem_release_564332

2- Quality Resort Itupeva – Itupeva (SP)

Com opções de piscinas tanto para adultos, quanto para crianças, os hóspedes do Quality Resort Itupeva ainda têm à disposição uma confortável jacuzzi para relaxar. Além disso, o hotel conta ainda com diversas atividades organizadas pelo time de recreação e pela mascote do resort, a lagartixa Tixa. Diárias a partir de R$ 457 por pessoa, com café da manhã.

imagem_release_564338

3- Infinity Blue Resort & Spa – Balneário Camboriú (SC)

Além de deslumbrante, a principal piscina do Infinity Blue Resort & Spa conta com a comodidade de um bar molhado. O Resort dispõe ainda de outras duas piscinas, infantil e aquecida, e oferece a semiprivatiza Praia dos Amores à frente do resort. Diárias para casal a partir de R$ 1.162 em regime de pensão completa (café da manhã, almoço e jantar incluídos. Bebidas e outras refeições são pagas à parte). Mínimo de duas diárias e cortesia para até duas crianças de até 5 anos no mesmo apartamento dos pais.

imagem_release_564307

4- Mavsa Resort – Cesário Lange (SP)

Além da piscina climatizada e infantil, a piscina principal (foto) é a mais disputada, com água climatizada e um tobogã de 30 metros que faz a alegria de adultos e crianças. Diárias a partir de R$790,50 por pessoa em apartamento duplo, categoria superior, com cortesia de 2 crianças de até 12 anos no mesmo apartamento dos pais, sendo um mínimo 3 diárias para janeiro. Sistema all inclusive com oito refeições diárias e bebidas à vontade.

imagem_release_564289

5- Hotéis Comfort Suites e Radisson Alphaville – Barueri (SP)

Relaxe com toda a tranquilidade e conforto que só a piscina coberta dos hotéis Comfort Suites e Radisson Alphaville pode oferece aos seus hóspedes e clientes. Além da piscina, os hotéis dispõem de outras opções de relaxamento, como spa, fitness center e sauna seca. Comfort Suites Alphaville: diárias a partir de R$ 243 por pessoa em apartamento categoria superior, com café da manhã. Radisson Alphaville: diárias a partir de R$ 308 + 2% ISS por pessoa em apartamento categoria superior, com café da manhã.

imagem_release_564290

6- Tivoli EcoResort Praia do Forte – Mata de São João (BA)

Essa linda piscina privativa com jatos d’água é destaque nesse luxuoso hotel que conta ainda com tratamentos relaxantes no spa, saunas, salão de beleza, entre outros. Localizado a 82km de Salvador. Disponibilidade a partir da segunda quinzena de janeiro. Diárias a partir de R$1.670 já com taxas e meia pensão (café da manhã e jantar) para 2 pessoas.

imagem_release_564343

7- Ouro Minas Palace Hotel – Belo Horizonte (MG)

O hotel mais tradicional de Belo Horizonte também não decepciona com a piscina. Indoor e climatizada, é ideal para relaxar a qualquer hora do dia. Diárias em acomodação dupla a partir de R$310 + taxas; inclui café da manhã.

imagem_release_564345

8- Miramar Hotel by Windsor – Rio de Janeiro (RJ)

A cobertura do hotel, cercada por paredes de vidro, é o lugar perfeito para apreciar uma vista de uma das praias mais famosas do mundo, a de Copacabana, mergulhado nesta piscina de borda infinita, revestida com granito. Diárias em acomodação dupla a partir de R$1.003 + taxas; inclui café da manhã.

imagem_release_564348

9- Windsor Marapendi – Rio de Janeiro (RJ)

A piscina está localizada na cobertura do Windsor Marapendi Hotel, na Barra da Tijuca, com mais uma vista deslumbrante da Cidade Maravilhosa. Diárias em acomodação dupla a partir de R$401 + taxas; inclui café da manhã.

imagem_release_564349

10- Windsor Atlantica Hotel – Rio de Janeiro (RJ)

A cobertura, no 39º andar, oferece bar exclusivo para os hóspedes, piscina e mais uma vista linda das praias do Leme e de Copacabana. Diárias em acomodação dupla a partir de R$641 + taxas; inclui café da manhã.

imagem_release_564350

11- Casa Grande Hotel Resort & Spa – Guarujá (SP)

A piscina principal do Casa Grande Hotel Resort & Spa é provavelmente o seu maior e mais conhecido cartão postal. Com águas climatizadas, é cercada por palmeiras e ladeada por amplos jardins com redes brancas e áreas de descanso. Diárias em acomodação dupla a partir de R$927 + taxas; inclui café da manhã.

imagem_release_564351

12- Royal Palm Plaza Resort – Campinas (SP)

São quatro piscinas climatizadas com ambientes para diversão e descanso, duas piscinas infantis com jatos d’água, balanços e toboágua e uma jacuzzi ao ar livre. Diárias a partir de R$566,25 + taxas e sem café da manhã.

imagem_release_564354

13- Royal Palm Tower – Campinas (SP)

Localizada na cobertura do hotel, a piscina compõe um espaço perfeito para relaxar, com uma grande jacuzzi e um agradável solarium com ampla vista de Campinas. Diárias em acomodação dupla a partir de: R$418 + taxas; inclui café da manhã .

imagem_release_564356

14- Etoile Hotels Jardins – São Paulo (SP)

Piscina climatizada e jacuzzi ao ar livre, em um charmoso espaço no térreo, ideal para um merecido relaxamento e com atendimento exclusivo do Restaurante Jorge. Diárias a partir de R$904 + taxas, sem café da manhã.

imagem_release_564362

15- Etoile Hotels Itaim – São Paulo (SP)

Na cobertura do hotel, a piscina aquecida e coberta oferece vista panorâmica para a cidade. Diárias a partir de R$1.180 + taxas, sem café da manhã.

imagem_release_564363.jpg

Aeroporto de Brasília terá novo terminal, 5 hotéis, outlet, parque aquático, universidade…

Terminal JK

O Aeroporto Internacional de Brasília será transformado em um complexo turístico, com um novo e mais amplo terminal para voos internacionais (foto acima). O plano de expansão da concessionária inclui a construção de cinco hotéis, incluindo o primeiro da rede Hard Rock Hotel do Brasil, no entorno do terminal. Outro empreendimento previsto terá parque aquático, aquário, cinema, outlet, centro de convenções, hospital e universidade. O projeto prevê ainda prédios de escritórios com capacidade para comportar 30 mil funcionários.

Hard Rock Hotel

A previsão é de investimentos na ordem de R$ 3,5 bilhões. As obras começam em 2016 e seguem até 2018, segundo estimativa da Inframerica, concessionária do aeroporto.

O empreendimento comercial de 303 mil metros quadrados comportará um shopping com 280 lojas, 30 opções de fast food e oito restaurantes de alto padrão, além de um edifício garagem com capacidade para 4 mil vagas de estacionamento, dois hotéis, dois edifícios de escritórios, cinema, academia e áreas destinadas a descanso. O acesso dos passageiros ao Terminal 1, saguão de embarque, se dará por meio do Terminal JK. As obras começam em 2016 e devem ser concluídas até 2018.

O Sun Park City Center será um centro de comércio, serviços e lazer inspirados em grandes empreendimentos como Downtown Disney e Puerto Venecia, na Espanha. Serão 418 mil m² de área construída próxima ao terminal aeroportuário. O complexo terá um parque aquático, aquário, kid’s place, cinema, área verde, lago, outlet, arena multiuso, centro de convenções, hospital e universidade.

Salto em três anos

A Inframerica completa três anos de concessão neste mês. A concessionária que iniciou a administração do terminal em dezembro de 2012, ampliou e renovou o aeroporto de Brasília, com um investimento de R$1,5 bilhão. Foram 18 meses ininterruptos de construção em meio à operação normal do aeroporto.

Antes da entrega das obras o aeródromo era o quarto aeroporto brasileiro em movimentação de passageiros, com a ampliação o terminal conquistou o segundo lugar (atrás apenas do Aeroporto Internacional Guarulhos) e se consolidou como o maior hub doméstico do Brasil.

As novas salas de embarque, os Píeres Sul e Norte, foram concluídos em abril e maio de 2014 respectivamente. O terminal passou de 60 mil metros quadrados para 110 mil m², um aumento operacional de 45%. As pistas de pousos e decolagens, taxiways e pátios também foram reformados e juntos somam 300 mil m².

Hoje são 70 posições para estacionamento de aeronaves, um incremento de 67%, destes, 29 são pontes de embarque. Com a nova infraestrutura o Aeroporto de Brasília pode comportar até 60 voos por hora e 21 milhões de passageiros por ano, 5 milhões a mais do que vinha recebendo.

Hoje o aeroporto de Brasília realiza 550 movimentos aéreos por dia para vários destinos nacionais e internacionais. Desde que a Inframerica assumiu a administração as opções de voos para o exterior cresceram.

Em três anos de concessão a movimentação de passageiros do aeroporto de Brasília cresceu 20%. A expectativa é encerrar o ano de 2015 com um crescimento de 7% em relação ao ano anterior, com aproximadamente 19,5 milhões de usuários.

Os destinos brasileiros com o melhor custo-benefício

Bonito, no Mato Grosso do Sul, lidera a lista
Bonito, no Mato Grosso do Sul, lidera a lista

O site de viagens Trivago acaba de divulgar uma lista com os 37 destinos brasileiros com o melhor custo-benefício para 2016. O levantamento é feito anualmente.

Com o dólar nas alturas está cada vez mais difícil viajar para o exterior, portanto está na hora de explorar as belezas do Brasil. Os destinos listados pelo site apresentaram um preço baixo da diária e avaliações positivas dos usuários.

A liderança da lista ficou para Bonito, em Mato Grosso do Sul, com um index de 95,565. O index é um algoritmo do portal que combina os dados do Índice de Preços de Hotéis, e ranqueia os locais com diárias mais em conta, com o Ranking de Reputação e ainda mostra as acomodações que mais satisfizeram os viajantes.

Minas Gerais tem três cidades entre as 10 primeiras. Goiás e Bahia têm duas.

Confira a lista

1- Bonito – MS

2- Porto Seguro – BA

3- Morro de São Paulo – BA

4- Monte Verde – MG

5- Ilhabela – SP

6- Tiradentes – MG

7- Ouro Preto – MG

8- Jijoca de Jericoacoara – CE

9-Paraty – RJ

10- Caldas Novas – GO

11- Pipa – RN

12- São Luís – MA

13- Florianópolis – SC

14- Cuiabá – MT

15- Porto de Galinhas – PE

16- Petrópolis – RJ

17- Belo Horizonte – MG

18- Campos do Jordão – SP

19- Aracaju – SE

20- Goiânia – GO

21- João Pessoa – PB

22- Salvador – BA

23- Maceió – AL

24- Foz do Iguaçu – PR

25-Armação dos Búzios – RJ

26- Natal – RN

27- Balneário Camboriú – SC

28- Curitiba – PR

29-Porto Alegre – RS

30- Guarujá – SP

31- Manaus – AM

32- Fortaleza – CE

33- Gramado –  RS

34- Recife – PE

35- São Paulo –SP

36- Brasília – DF

37- Rio de Janeiro – RJ

Conheça os trens de passageiros que viajam pelo Brasil

Trem da Serra do Mar

Zulmira Furbino, do Correio Braziliense

Que tal fazer um passeio tipicamente europeu, norte-americano e asiático dentro do Brasil? Essa é a proposta dos 30 trens turísticos do país, estruturados para levar os visitantes a viagens incríveis pela história, em meio à natureza, um tipo de passeio tradicional em países como Estados Unidos, China e no continente europeu. De quebra, você vai conhecer grandes e pequenas cidades do interior do Brasil e  provar a gastronomia local, visitar lojinhas de artesanato e curtir uma aventura que normalmente os brasileiros só fazem no exterior.

Anualmente, no Brasil, cerca de 3 milhões de pessoas costumam passear nos trens voltados para o turismo, metade delas pela locomotiva que sobe ao Corcovado, no Rio de Janeiro. O restante se divide nos outros comboios, mas eles estão estruturados para atender até 10 milhões de passageiros. Então, aproveite. Porque, no Brasil, trem também é turismo.Tanto que a Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais, em parceria com o Sebrae nacional, lançou a segunda edição do projeto “Trem é turismo”, que visa popularizar e divulgar esse tipo de passeio no país. É uma ótima oportunidade para quem deseja fazer passeios bucólicos e diferentes.

Circuito das águas

O trem sai de uma antiga ferrovia projetada e construída pelos ingleses há 115 anos, um legendário caminho de ferro percorrido por dom Pedro II e sua comitiva imperial em busca do ameno clima mineiro e das águas medicinais da região. Por isso, essa é uma viagem no túnel do tempo, com direito aos apitos da locomotiva e ao poético badalar do sino de uma Maria-fumaça — locomotiva de fabricação americana de 1925 —, original, com seu ruído cadenciado da expulsão do vapor e o inimitável som do ranger das brassagens. Na cidade, diversos restaurantes oferecem a tradicional cozinha mineira. Há também lojinhas que comercializam artesanato local.

O trem de São Lourenço a Soledade de Minas

Trajeto: de São Lourenço a Soledade, no sul de Minas, num trajeto de 10km
Dias e horários: aos sábados, às 10h e às 14h30; aos domingos, 10h
Tarifas*: R$ 50 na classe turística e R$ 65 na especial, com bancos estofados e degustação de produtos locais. Crianças menores de 5 anos, não ocupando lugar (viajando no colo), não pagam.

Montanhas capixabas

O passeio no trecho de 46 quilômetros, une história e cultura  às belíssimas paisagens da mata atlântica. O trem é uma Litorina, com poltronas de couro, grandes janelas, ar-condicionado e serviço de bordo. A partida é em Viana, a 23 quilômetros de Vitória. Inaugurado em 1895, era conhecido por Leopoldina Highway, em homenagem a Maria Leopoldina, primeira imperatriz do Brasil.  A primeira parada é em Domingos Martins, cidade de cultura alemã, onde dois túneis e uma ponte suspensa sob o Rio Jacu são os pontos mais relevantes do trajeto. O passeio dura cerca de duas horas e meia, com três paradas durante o trajeto.

Trem Viana (ES) a Araguaia (ES)

Trajeto: de Viana (ES) a Araguaia (ES)
Dias e horários: saídas de Viana
aos sábados, domingos e feriados, às 9h. Retorno de Marechal Floriano às 12h30. A duração total do passeio é de cinco horas.
Tarifas*: R$ 112 (somente ida), R$ 52 (criança, somente ida). A tarifa promocional de ida e volta no mesmo dia é R$ 160 (adulto) e R$ 82 (criança).

Serra da Mantiqueira

O trem sai do município de Passa Quatro, em Minas, em direção à Estação Coronel Fulgêncio, localizada no alto da Serra da Mantiqueira, próxima ao Grande Túnel, na divisa de Minas com São Paulo. Nas ferroviárias das duas cidades há uma exposição fotográfica. A curiosidade é que Coronel Fulgêncio foi palco dos maiores combates da Revolução de 1932. Na Estação Manacá há feira de artesanato e guloseimas típicas da região e também uma pequena estação para atendimento da zona rural. Ela foi também o posto avançado das tropas federais durante a Revolução Constitucionalista de 1932. O trem é puxado por uma autêntica locomotiva a vapor e antigos carros de madeira.

Trem de Passa Quatro

Trajeto: são 10km de extensão. A duração total do passeio é de duas horas.
Dias e horários: sábados, às 10h e às 14h30; domingos, às 10h.
Em feriados e datas festivas podem ocorrer passeios extras.
Tarifa*: R$ 45 por pessoa. Crianças menores de 5 anos, não ocupando lugar, são isentas.

Serra do Mar

A cada ponte, túnel e paisagem que se destaca ao longo desta inesquecível viagem, o melhor a fazer é entrar em êxtase com a maravilhosa paisagem contornada por uma ferrovia imperial que, ao longo de seus 110km, liga Curitiba a Paranaguá desde 1880 e perpetua no tempo um magnífico e arrojado projeto.

Trem Serra do Mar

Considerada uma obra impossível de ser realizada por inúmeros engenheiros europeus da época, a obra teve início em três frentes simultâneas: entre Paranaguá e Morretes (42 quilômetros), entre Morretes e Roça Nova (38 quilômetros) e entre Roça Nova e Curitiba (30 quilômetros). Ao longo do trajeto, o viajante vai se deparar com belas paisagens, como cânions, cachoeiras e vasta biodiversidade. Morretes é conhecida como a capital agrícola do litoral do Paraná. Produz cachaça e numerosos produtos processados artesanalmente, como a famosa farinha de mandioca de Morretes, ingrediente do famoso Barreado, o prato típico do Paraná.

Trajeto: De Curitiba a Morretes, o percurso tem 110km. O passeio dura cerca de três horas.
Dias e horários
Baixa temporada: Litorina só para grupos, fins de semana e feriados e trem diário.
Alta temporada: trem diariamente, às 8h15 e Litorina, às 9h15. O retorno de Morretes é às 15h.
Tarifas*: Turístico R$ 99 (adulto, ida) e R$ 63 (criança, ida); volta: adulto R$ 77 e criança R$ 51.
Classe executiva: R$ 144,50 (adulto, ida) e R$ 68 (criança,, ida); volta: R$ 102 (adulto) e R$ 55 (criança).
Litorina Luxo: R$ 296 (adulto, ida) e R$ 225 (criança); volta: R$ 296 (adulto) e R$ 225 (criança). Camarote ida, para quatro passoas, R$ 444; oito pessoas, R$ 888. Na volta, R$ 300 o de quatro lugares e R$ 600 o de oito.

Como viajar com o seu cachorro

viagem-cachorro

Juliana Contaifer, da Encontro Brasília

Fim do ano é a época perfeita para viajar. Período de férias nas escolas, feriados para as festas e sol nas praias são as desculpas perfeitas para pôr o pé na estrada e descansar um pouco da rotina.

E uma das formas mais baratas e divertidas de encarar a aventura é de carro, percorrendo as estradas, ouvindo música em alto volume e conhecendo várias cidades até o destino final.Mas, para quem tem um animal de estimação, a hora da viagem é complicada.

Deixar o cão ou gato em casa exige uma logística difícil, que envolve um lugar para hospedá-los e a prevenção de qualquer possível necessidade no período da ausência dos responsáveis, além da preocupação e da saudade de deixá-los para trás.

Muita gente prefere esse trabalho a levar os pets para conhecer novos lugares. Uma viagem com bichinhos no carro parece caótica. Eles enjoam, ficam agitados e barulhentos. Tentam colocar a cabeça para fora da janela, sobem no colo de quem está perto e alguns até latem para outros veículos. Mas quem não consegue ficar longe dos cachorros ou gatos e viaja constantemente com eles pensa o contrário.

É um prazer levá-los para passear em lugares diferentes. A viagem precisa de organização e pode demorar mais tempo, mas com certeza é mais divertida. “Quando compramos a Moleca, a moça que nos vendeu disse que ela adorava andar de carro. Mas na primeira viagem a Vitória, ela ficou totalmente nervosa, tremia, ficou toda mareada”, conta a psicóloga Rosilea Wille.

Em uma das primeiras paradas da viagem, Rosilea encontrou uma senhora com um cachorro pequeno, que afirmou nunca viajar com seu cão sem dar um medicamento para acalmá-lo. A psicóloga não pensou duas vezes e deu algumas gotinhas para sua cachorrinha. “Ela foi apagada o resto da viagem. Fiquei desesperada, toda hora verificava se o coração dela estava batendo direitinho.

O veterinário não havia me dado nenhuma orientação, mas hoje vejo que a melhor forma de viajar com cachorro é mesmo dando um sedativo. Eles sofrem menos e eu fico mais tranquila”, explica. Rosilea e o marido, Johannes, adoram levar seus dachshunds, Paco e Moleca, para encontrar a família em Vitória – mas os dois só vão quando a viagem é curta. “Fica ruim para eles mudar a rotina por tanto tempo, e não queremos dar trabalho para quem nos hospeda.

Adoramos viajar com eles, é uma odisseia para organizar tudo, mas parece que a família fica completa. Se deixamos os dois em Brasília, é só preocupação, ficamos ligando toda hora para ver se está tudo certo”, conta. Para a psicóloga, uma das dicas mais importantes é entender como cada cão se comporta dentro do carro e garantir que a rotina não seja muito alterada – o que significa paradas para passear mais ou menos no mesmo horário, a cama do pet, com seus panos e travesseiros, e os brinquedos preferidos.

Quadro2

O uso de medicamento é uma dica dos veterinários para uma viagem tranquila. Animais costumam ficar enjoados em passeios de carro, e a administração de um remédio pode inclusive tranquilizá-los, deixando-os mais sonolento. Cachorros maiores e mais agitados podem tomar um tranquilizante forte para dormir a viagem inteira. “É um sedativo semelhante àquele dado em viagens de avião”, explica a veterinária Bárbara Lopes.

Mas os dois golden retrivier da fisioterapeuta Flávia da Costa Rocha não precisam de nenhum tipo de remédio para viajar os mais de mil quilometros que separam a casa da fisioterapeuta da fazenda do pai, em Minas Gerais. “No primeiro ano do Thorus, ele enjoava bastante durante qualquer passeio de carro e nenhum remédio resolvia. Mas agora ele já viaja bem tranquilo, sem qualquer medicamento. Vai sentadinho no carro, com cinto de segurança, bem quietinho, olhando o movimento pela janela. Já o Apple, mais novo, dorme assim que entra no carro, nem precisa de sedativo”, conta Flávia. Acostumados a passear, Thorus e Apple ficam animados ao ouvir o barulho do motor da caminhonete da família.

Uma história engraçada que Flávia passou com seus pets foi na primeira viagem de Thorus. O carro quebrou no meio do caminho, em uma rodovia afastada e sem muito movimento. “A ajuda demorou a chegar, estava muito calor e o acostamento em que paramos estava cheio de cachorros grandes, não tínhamos como descer para esperar ao ar livre. Mas, por mais incrível que pareça, nossos cães ficaram quietinhos dentro do carro, esperando o socorro chegar”, lembra.

Para uma viagem tranquila, a fisioterapeuta aconselha não deixar de fazer paradas para que o cão possa relaxar, fazer xixi e beber água.  Segundo Bárbara Lopes, a dica mais importante para uma viagem com o animal é a instalação dentro do veículo.


De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito, os animais devem estar presos por um cinto de segurança ou acondicionados em uma caixa de transporte grande o suficiente para que o pet consiga dar uma volta de 360 graus. “Eu aconselho levá-los com cinto de segurança. Assim eles podem participar da viagem e olhar o movimento, além de ser mais fresco”, explica a veterinária. Algumas raças mais peludas podem sofrer com o calor dentro do carro, o que significa que o ambiente deve estar bem ventilado ou refrigerado pelo ar-condicionado.

O veterinário Hugo Moura aconselha uma alimentação diferenciada para viagens. “É preciso fazer paradas de três em três horas para que o animal possa fazer suas necessidades e descansar um pouco. É interessante dar água de coco, soro fisiológico ou água mineral em menor quantidade para mantê-lo bem hidratado”, explica.

Algumas pessoas, temendo vômitos, deixam os animais em jejum durante a viagem. Hugo avisa que isso é errado, o pet pode entrar em convulsões em razão da queda glicêmica. A dica é administrar alimentos com bastante glicose. “Mamão, manga ou melancia em pequenas quantidades são interessantes para evitar qualquer problema. E se a parada durar cerca de 30 minutos, os proprietários devem alimentar o animal bem no início, para que o sistema digestivo tenha tempo de processar o alimento e evitar mais vômitos.”

Mapa das obras de Oscar Niemeyer

Mapa de Niemeyer

As monumentais Paris e Brasília em exposição

Nahima Maciel, do Correio Braziliense

Foi no Facebook que João Campello se descobriu fotógrafo. Na verdade, foi descoberto. Uma foto postada em novembro de 2011 quase congestionou a página. De repente, Campello contava com 1.995 amigos, mas nunca ouvira falar nem da metade. A pressão foi tanta que postou mais fotos, todas de Brasília, e acabou por aceitar o desafio de montar uma exposição sugerido por alguns amigos. O resultado fica exposto até setembro no Espaço Cultural Alexandre Innecco e revela um olhar amoroso para a cidade adotada pelo fotógrafo.

Campello nasceu em Salvador, mas cresceu em Brasília. Chegou à capital aos 7 anos e fez da paisagem de concreto sua referência. É tão fanático pela cidade que, quando foi conhecer Paris, enfiou na cabeça que não ia gostar só para contrariar os amigos. Afinal, nada poderia superar Brasília. “Todo mundo falava que eu ia me apaixonar. Fui pensando o contrário. Até tentei me conter, mas não deu. É uma cidade fantástica”, admite. Por isso ele colocou a capital francesa na mira dos interesses fotográficos e danou-se a registrá-la. O paralelo entre as duas entrou para o portfólio e Paris divide com Brasília o espaço da exposição. São 11 imagens rotativas: ao longo do mês, as fotografias serão trocadas e renovadas.

Local: Espaço Cultural Alexandre Innecco – SCLN 116 Bloco A
Data: Segunda, das 19h às 21h. Terça, das 10h às 12h. Quarta, das 12h às 14h e das 19h às 21h
Preço meia: Entrada franca
De: 10/07/2012
Até: 7/11/2012

Os tesouros das cavernas de Unaí

Renato Alves e Ronaldo de Oliveira (fotos), do Correio Braziliense

Muito antes dos integrantes da Missão Cruls, dos fazendeiros e dos candangos, homens, mulheres e crianças já exploravam o Planalto Central. Essa gente começou a chegar à região há mais de 10 mil anos. Vivia da caça de pequenos animais e da coleta de frutos, como o ainda abundante pequi. Buscava abrigo em grutas, onde também expressava sua arte e deixava seus mortos. As cavernas ocupadas por nossos ancestrais ainda são pouco conhecidas dos homens modernos. Muitas delas, com seus desenhos e até ossadas, ficam em meio a propriedades rurais de Unaí (MG), distante 160km de Brasília.

Em terras do município mineiro de 80 mil habitantes, pesquisadores identificaram ao menos 10 cavernas com formações geológicas milenares, lagos transparentes e pinturas feitas por alguns dos primeiros habitantes do centro do país. Os homens das cavernas também deixaram gravuras em paredões e pedras encravadas no cerrado. Museus pré-históricos explorados por poucos cientistas, minguados adeptos de esportes radicais e quase nenhum turista, por falta de informação e infraestrutura para a visitação. O Correio percorreu a região em busca desse tesouro esquecido.

As pinturas das cavernas de Unaí estão bem nítidas, levando-se em conta o desgaste sofrido ao longo de tanto tempo de exposição. As mais expressivas ficam na Gruta do Gentio II, a 30km do centro da cidade. Ela começou a ser ocupada há cerca de 10.250 anos, de acordo com pesquisas realizadas nas décadas de 1970 e 1980. Os arqueólogos levantaram a data a partir dos pingos de tinta no solo original. Vestígios de um ponto cerimonial, com pinturas em vermelho no teto e nas paredes, onde depositaram corpos parcialmente cremados.

Nesses estudos do Instituto de Arqueologia Brasileira (IAB), encontraram os restos mortais de uma criança que ali viveu há 9 mil anos. Ela tinha entre 9 e 10 anos e estava envolta em uma rede de algodão. A conservação do corpo indicou que o sepultamento teve características de ritual funerário e possível embalsamamento. A criança integrava uma comunidade de coletores, que, naquela região, se alimentava de coquinhos de guariroba e pequi. Por meio de objetos e das pinturas, os pesquisadores concluíram ainda que pequenos grupos habitaram a gruta entre 7.350 e 8.250 anos atrás.

A caverna voltou a ser habitada por um grupo que ali desenvolveu pequenas hortas. Esse povo viveu na região entre 3,5 mil e 1 mil anos atrás. A Gruta do Gentio II é naturalmente bem iluminada e seca, o que permitiu a preservação de exemplares arqueológicos em bom estado apesar da sua antiguidade. Nas três últimas décadas, os pesquisadores encontraram e recolheram na caverna uma grande variedade de objetos milenares, como artefatos de pedra, de cerâmica, de osso, restos de fios de algodão e cestaria, além de alguma poucas peças de madeira. Neste sítio arqueológico também localizaram a mais antiga cerâmica em território brasileiro, fora da Amazônia, com cerca de 3,5 mil anos.

Água milagrosa

Enquanto a Gentio II era usada para funerais dos homens das cavernas, a Lapa do Sapezal, distante 25km do centro da cidade, hoje serve de cenário para manifestações religiosas. Nos dias 1º, 2 e 3 de maio, peregrinos vão à lapa, em meio a uma mata, exaltar a Santa Cruz e São José Operário. A festa mobiliza parte da população residente nas comunidades próximas e de municípios mineiros vizinhos, como Paracatu, Vazantes e Buritis. Todos acreditam haver poderes divinos na caverna.

Durante a festa, no entorno da lapa são construídas barraquinhas de comidas. A capela sedia orações, batizados, missa e dela parte uma procissão. No interior da Sapezal há um lago de origem freática onde são jogadas moedas, acompanhadas de pedidos. Muitos acreditam em um poder curativo dessas águas. Há ainda no interior da lapa uma abstrata figura de uma Nossa Senhora a se formar em escorrimentos de calcita sem que haja, contudo, referências a milagres seus ou culto a uma Nossa Senhora da Lapa.

Um lago cristalino também é uma das grandes atrações da Gruta do Tamboril. No entanto, não é fácil chegar até as águas e o acesso à caverna é controlado pelos órgãos de saúde, por causa da suspeita de um foco de histoplasmose no local, nunca comprovado nem estudado. Assim como na maioria das grutas, por causa da ausência de sinalização, iluminação e os riscos do solo acidentado, a visita ao Tamboril só deve ser feita na companhia de guias especializados e equipamento adequado.

Com cerca de 4km de extensão, a caverna tem sete salões ornamentados por estalactites e estalagmites, sendo o último coberto pelo lago totalmente limpo e transparente. Até lá, porém, gasta-se pelo menos uma hora e meia de caminhada, com descidas e subidas em pedras pontiagudas e escorregadias. Mas se não quer tanta aventura nem correr o risco de adquirir uma doença, a entrada no primeiro dos sete salões é o suficiente para uma prova das maravilhas da gruta.

Ajuda de moradores

Como Unaí não dispõe de política para exploração do turismo nem sequer placas que indiquem a localização das suas grutas e cachoeiras, os visitantes precisam da ajuda de moradores para chegar aos atrativos. Gente simples e prestativa como o vaqueiro Ademir da Silva Leite, 32 anos (foto abaixo). Desde que começou a trabalhar na Fazenda do Gentio, há 10 anos, ele serve de guia aos cientistas vindos de todo o país para estudar a caverna com o mesmo da propriedade rural, onde se cria gado nelore.

Mas Ademir começou a entender por que aquela gente vinha de tão longe para embrenhar-se na mata e passar o dia numa caverna somente há seis anos, quando teve a atenção chamada por uma professora da Universidade de São Paulo (USP). “Mostrei pra ela o meu nome escrito na caverna e ela disse para eu nunca mais fazer aquilo. Hoje, não deixo ninguém escrever lá”, conta. Apesar da consciência do vaqueiro, ainda há vândalos escrevendo sobre pinturas milenares.

Outro que faz as vezes de guardião das cavernas é o estudante de biologia Emmanuel Nicodemos, 25 anos. Ele e colegas da unidade da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) em Unaí montaram um grupo de espeleologia para explorar as grutas e divulgar a beleza e importância delas. “Além de passeios para esportes de aventura, como rappel, estamos catalogando cavernas ainda não estudadas. Mas temos algumas barreiras, como fazendeiros, que impedem o acesso às grutas”, conta.


SAIBA MAIS
http://www.limiteverticalunai.blogspot.com
Guias para visitação: Emmanuel Nicodemos, 38-9847-4017

Novas regras sobre trazer bens pessoais do exterior

Marina Della Valle, da Folha de S. Paulo

Em vigor desde 1º de outubro de 2010, as novas regras da Receita Federal para a alfândega ainda deixam alguns viajantes na dúvida.

As normas estabelecem como “bem manifestamente de uso pessoal” —  e portanto isentas da cobrança de impostos- um relógio de pulso, um telefone celular e uma câmera fotográfica, desde que já tenham sido usados.

As regras ainda estabelecem limites de quantidade para bens trazidos do exterior, que não podem ser ultrapassados. Além disso, a DST (Declaração de Saída Temporária de Bens) foi extinta e ficou mais clara a definição do que é acessório automotivo — que pode ser trazido na bagagem.

O conceito de bem pessoal pode gerar dúvidas. Por que um relógio, celular ou câmera, desde que usado, não será fiscalizado, enquanto uma joia poderá ser?

Segundo a Receita, a norma cita os três primeiros itens, mas não cita uma série de outros que se encaixam na noção de bem pessoal. E o imposto não será cobrado desde que não haja dúvidas de que os tais bens possam se destinar ao comércio.

Segundo o advogado Walter Ceneviva, a elasticidade das regras se deve à própria natureza dos bens e direitos da União. “O Código Tributário Nacional permite ao Poder Executivo, nas condições e limites estabelecidos pela lei, alterar cotas ou bases de cálculos dos impostos. Por quê? Esses itens são relativos a interesses do país na politica cambiária”, diz.

Para José Roberto Pisani, do escritório de advocacia Pinheiro Neto, os critérios dos fiscais barram os bens que podem ser classificados como pessoais, mas que se destinariam ao comércio. “Os fiscais são induzidos a verificar quantidades, produtos idênticos”, explica. “Os limites quantitativos contemplam essa questão.”

Veja respostas para as principais dúvidas:

A DST (Declaração de Saída Temporária de Bens) foi extinta. Como provo que levei um bem que é meu?

Apresentando a nota fiscal ou outro meio idôneo.

Por que um relógio é isento de imposto?

Três bens passam a ser considerados manifestamente de uso ou consumo pessoal, isentos de impostos, desde que usados: um relógio de pulso, um celular e uma câmera fotográfica (mesmo que tenha função filmadora). Um aparelho reprodutor de áudio/ vídeo portátil ou um pen drive, desde que usados, entram no conceito de bem pessoal. Filmadoras e notebooks não entram na isenção.

O que é um bem de consumo pessoal?

Itens de vestuário, higiene e aqueles que o viajante possa necessitar para uso próprio, considerando as circunstâncias da viagem e sua condição física, e bens portáteis destinados a atividades profissionais durante a viagem, excetuando aparelhos que precisam de instalação, filmadoras e notebooks

Como um bem é classificado como usado?

Estando em uso, ainda que esteja sendo usado pela primeira vez. Um bem fora da caixa, em uso, é usado. Não precisa ter sinais de desgaste.

No caso de bens especificados como manifestamente de uso pessoal, há teto de valor?

Não.

Uma joia é considerada bem pessoal?

Segundo a Receita, a legislação não fala expressamente de joias, assim como de outros bens que podem se encaixar no conceito. A fiscalização usa critérios como compatibilidade da viagem, discrepâncias de valores e quantidades para decidir.

Quais os limites quantitativos de bagagem estabelecidos?

Os limites para quem ingressa por via aérea ou marítima são:(1.) 12 litros de bebidas alcoólicas; (2.) 10 maços de cigarro com 20 unidades cada; (3.) 25 charutos ou cigarrilhas; (4.) 250 gramas de fumo; (5.) 20 unidades, desde que não haja mais do que dez idênticas, de bens não relacionados nos itens anteriores, com valor unitário inferior a US$ 10 (suvenires, pequenos presentes); (6.) 20 unidades de bens não relacionados nos itens anteriores, desde que não haja mais que três idênticas

É possível ultrapassar os limites quantitativos?

Não. Diferentemente do limite de valor, que pode ser ultrapassado, acarretando a cobrança de imposto sobre o excedente, bens que passam os limites quantitativos não entram, mesmo que estejam abaixo do limite de valor

O que muda no caso de bens automotivos?

Há uma definição mais clara do que é acessório, que pode ser trazido na bagagem, e o que é peça ou parte de carro, que não pode. Acessórios são itens que agregam, mas não são necessários ao funcionamento,como GPS, aparelho de som ou DVD.

Rock in Rio 2011: começa venda de ingresso

Começou a ser vendido à 0h01 desta sexta-feira (19/11) o primeiro lote de ingressos para a quarta edição do Rock in Rio no Brasil. O Rock in Rio Card custa R$ 95 (meia) e R$ 190 (inteira) e só pode ser adquirido no site oficial do festival. Cada pessoa pode comprar no máximo quatro ingressos.

Com isso, você garante a sua ida ao Rock in Rio mesmo que ainda não haja atrações confirmadas. Quando a programação do festival estiver fechada, é só escolher o dia. O próprio cartão, semelhante a um cartão de crédito, já vai servir como entrada. É a mesma estratégia usada pelo organizadores do Rock in Rio Lisboa, realizado em Portugal por quatro anos.

Entre os nomes já confirmados no festival em 2011 estão as bandas Metallica (foto acima), Red Hot Chili Peppers e Snow Patrol, além das atrações nacionais Sepultura, Angra e Capital Inicial.

Além dos shows, o Rock in Rio Card dará acesso a outras atrações do festival, como parque de diversões, acesso às tendas Rock Street com shows de jazz, Espaço Moda com desfiles, e os palcos Eletrônica, Mundo e Sunset.

A quarta edição do evento está marcada para 23, 24, 25 e 30 de setembro e 1 e 2 de outubro de 2011, no Parque Olímpico Cidade do Rock (foto abaixo), na Barra da Tijuca.

O festival volta a ser promovido no Brasil após 10 anos e depois de passar por Lisboa e Madri. O Rock in Rio foi realizado pela primeira vez em 1985. Originalmente organizado no Rio de Janeiro, tornou-se uma atração internacional em 2004, quando foi levado para Lisboa, Portugal.

Ao longo da sua história, o Rock in Rio teve nove edições: três no Rio de Janeiro (1985, 1991, 2001), quatro em Portugal e duas na Espanha.

Rock in Rio 2011 com U2, Iron, Guns e Radiohead


A edição 2011 do festival será realizada no Rio de Janeiro após 10 anos e quatro edições em Lisboa e duas em Madri. Mais de 100 atrações vão se apresentar nos dias 23, 24, 25 e 30 de setembro e 1º e 2 de outubro, no Parque Olímpico Cidade do Rock, numa de 150 mil metros quadrados na Barra da Tijuca, zona oeste carioca.

Por enquanto, o empresário Roberto Medina, idealizador do projeto, garante não ter nenhuma atração internacional confirmada, mas diz que gostaria de trazer ao Brasil bandas como Radiohead, Guns n’ Roses e Iron Maiden. “Não temos nada fechado ainda”, afirmou em entrevista coletiva no Rio. No entanto, integrantes da organização do evento garantem que Lady Gaga, Metallica e Beyoncé se apresentarão no palco principal. E o U2 está sendo sondado.

Os ingressos deverão custar R$ 180 por dia (R$ 90 a meia para estudantes). O local escolhido é bem menor do que a Cidade do Rock original, em Jacarepaguá (realizado em 1985; foto abaixo), e fica quase em frente a ela: a capacidade é para 120 mil pessoas por dia (na última noite do Rock in Rio 3, em 2001, a mais concorrida, compareceram 250 mil).

DJs e Vips

Além dos shows que vão acontecer no Palco Mundo, muitas outras atrações vão permear o Parque Olímpico Cidade do Rock. Uma tenda de música eletrônica vai contar com DJs nacionais e internacionais. A área vip, com capacidade para 2 mil convidados, será climatizada e contará com um serviço de bufê e telões.

No Palco Sunset vão acontecer encontros entre artistas brasileiros e internacionais para jam sessions. Uma rua com lojas, restaurantes e bares é outra área do festival. E ainda tem desfiles, tirolesa, roda-gigante e outros brinquedos de parques de diversões.

Pelo site http://www.rockinrio.com.br , o público pode votar em quem gostaria de assistir.

    Passagem de ônibus pela internet

    Agora, para comprar o bilhete de viagens de ônibus, basta acessar a internet. O portal Webpassagens oferece online esse tipo de passagem, garantindo mais rapidez aos viajantes — que, assim, evitam filas e o deslocamento até a rodoviária.

    Pelo site, é possível conferir os dados necessários, como destinos, datas, horas de saída e chegada, empresas, preços e formas de pagamento, e ainda marcar o número da poltrona. Além disso, quem quiser pode pedir a entrega do bilhete em domicílio, em serviço fornecido aos usuários do site pela Direct Express.