Os 10 melhores lugares da Ásia para visitar em 2016

Está difícil decidir para onde ir na Ásia nos próximos 12 meses? Os escritores da Lonely Planet exploraram as cidades mais eletrizantes do continente, caminharam por florestas fumegantes e até mesmo nadaram em lindos mares para buscar locais que você não pode nem pensar em perder. Foi um trabalho duro, mas…

O resultado é uma ótima lista de destinos clássicos, que oferece novos desvios para viajantes, regiões repletas de ação e locais fora do mapa que você provavelmente nunca nem ouviu falar. Leia e descubra onde poderá ser seu próximo destino na Ásia.

1. Hokkaidō, Japão

A neve perfeita de Hokkaidō colocou a cidade no mapa internacional, no entanto ela também ofuscou aos visitantes os encantos que duram o ano inteiro, na cidade mais ao norte do Japão: uma paisagem selvagem e montanhosa que pede exploração a pé, de bicicleta ou de motocicleta; vilas alpinas onde você pode tropeçar no desconhecido; e suntuosos frutos do mar – incluindo caranguejo, ouriços-do-mar e vieiras – pescadas de mares magníficos e gelados.

Hokkaidō se tornou mais acessível neste ano graças ao novo trem-bala que liga a cidade portuária mais ao sul, Hakodate, a Tóquio. A rota é coberta pela popular passagem de trilhos de ferro do Japão (que permite viagens ilimitadas de trem-bala). A linha se estenderá até a dinâmica Sapporo, a capital da província e anfitriã dos Jogos de Inverno Asiáticos do ano que vem.

LEIA MAIS: Japão com crianças: dicas e destaques de atrações para os pequenos

2. Shànghǎi, China

Que lugar seria o centro do universo neste momento? Certamente Shànghǎi, onde parece que todos os seus mais de 24 milhões de habitantes estão sempre empenhados em curtir a vida. Então, por que não se juntar a eles? Dançando em salões de baile em parques, bebericando bebidas delicadas em antigas casas de chá ou comendo pratos cheios de bolinhos cozidos ensopados em vinagre. Os locais de coquetéis e cervejas artesanais que crescem cada vez mais em meio à selva de arranha-céus iluminados com neon mostram quão internacional a cidade se tornou. Ainda assim, a antiga Shànghǎi nunca está longe: travessas em arquitetura shikumen são cheias de vida, enquanto majestosos edifícios art déco se enfileiram no Bund. Este ano é muito importante, com a abertura do primeiro resort da Disney em terra firme, na China, além da conclusão da tão esperada Shànghǎi Tower, o segundo edifício mais alto do mundo.

3. Jeonju, Coreia do Sul

No meio de Jeonju está uma das vilas tradicionais mais bem preservadas da Coreia – centenas de casas de madeira com telhados graciosamente virados para cima, abrigando uma variedade interessante de museus, casas de chá e oficinas de artesanato. Ainda assim, ao falar com um coreano que você irá para Jeonju, ele provavelmente se empolgará mais falando sobre comida do que sobre arquitetura. Depois de estar por muito tempo no radar como o destino favorito dos amantes de comida no país, Jeonju finalmente a ser apetitosa fora do país: a cidade foi premiada como a Cidade da Gastronomia em 2012, pela Unesco, e é o berço do prato mais famoso da Coreia, o bibimbap – uma combinação de vegetais no arroz, coberto com brotos de feijão à moda de Jeonju, geleia de feijão-da-China e beef tartar – agora atraia um público mais jovem graças à cena de comida de rua que está surgindo rapidamente.

4. Con Dao Islands, Vietnã

As Con Dao Islands saíram das trevas para a luz: sendo por décadas o local de uma brutal colônia penal, o arquipélago agora está entre os mais novos destinos que estão surgindo na Ásia. Um parque nacional desde 1984, seus atrativos incluem um jardim de corais que oferece o melhor mergulho do Vietnam, caminhadas recompensadoras em florestas repletas de vida selvagem, e uma costa salpicada de lindas enseadas de areia branca. Uma safra de cafés-bar simplórios foi inaugurada nacidade histórica de Con Son, satisfazendo o crescente mercado de mochileiros, enquanto o luxuoso resort Six Senses diverte a alta sociedade internacional. Agora com melhores conexões aéreas de Ho Chi Minh City, não há lugar melhor para se deliciar com frutos do mar frescos, sair em busca da praia perfeita e se divertir em uma vibe “náufrago”.

5. Hong Kong, China

Essa metrópole que parece projetar-se em direção ao céu sempre seduz com uma combinação de cultura, culinária e consumismo, mas agora Hong Kong tem como foco seu patrimônio natural – especificamente, o geoparque nomeado pela Unesco, uma região de 50 km a nordeste. Um ônibus que circula entre Sai Kung, cidade onde fica o geoparque, e suas formações rochosas antigas entrou em operação em maio. Essa cidadezinha, que já foi quase deserta, está passando por uma renovação também, com habitantes que retornaram à cidade organizando eco-tours e oficinas de culinária. De volta à floresta urbana, artistas estão avivando antigos bairros como Sham Shui Po, e restaurantes importantes como Fish School e Kin’s Kitchen estão se voltando à produção local como inspiração para o 20º aniversário do retorno de Hong Kong a China.

LEIA MAIS: Os 10 melhores lugares da Europa para visitar em 2016

6. Ipoh, Malásia

A capital culinária menos conhecida da Malásia tem um novo atrativo graças a uma safra de cafés-butique que surgiram em seu distrito histórico. No coração do renascimento de Ipoh está o incrível hotel-conceito Sekeping Kong Heng, repleto de cômodos de vidro no andar superior e quartos sem paredes no topo do edifício. Perto dali, cafés artísticos como Roquette, Burps & Giggles e Everyday Lifeshop foram inaugurados, entre antiquados kedai kopi (cafés) e elegantes edifícios coloniais. No entanto, viajantes gastronômicos ainda clamam pelos antigos favoritos de Ipoh: frango com broto de feijão crocante do Lou Wong, e tau fu fah (pudim de tofu) do Funny Mountain. Destinos selvagens estão próximos, como observar pássaros andando de bicicleta pelo Kinta Nature Park ou rafting nas correntezas perto de Gopeng. Com templos no alto de penhascos e o Gaharu Tea Valley próximo, é certo que o renascimento de Ipoh atrairá novas multidões.

7. Pemuteran, Indonésia

Enquanto você flutua nas águas azul-petróleo da ilha Menjangan no canto mais ao nordeste de Bali, o caleidoscópio de cores abaixo de você de repente é obscurecido por uma crescente coluna de bolhas… Sim, mergulhadores ali abaixo estão olhando para uma das mais incríveis paredes de coral da Indonésia. Esse paraíso embaixo da água é a principal – mas longe de ser a única – razão para se hospedar em Pemuteran, uma baía dupla de praias perto de Menjangan (que é parte do único parque nacional de Bali). Plantações de arroz verde-esmeralda se enfileiram na estrada em direção ao agitado sul da ilha, rumo à próxima descoberta de todos… Mas não espere até todo mundo chegar: vá na onda desse atraente mistura de resorts repletos de arte, criativos restaurantes e da atmosfera mais tranquila da região.

8. Trang Islands, Tailândia

As Trang Islands na Tailândia integram o mesmo nocaute matador que suas mais famosas vizinhas da costa de Andaman, Phuket, Ko Phi-Phi e Ko Lanta; o que falta nelas são as multidões de pessoas. Praias amarelas brilham em meio a pedaços de carste. Bangalôs em frente à praia vão se enfileirando na areia, arco-íris de peixes movimentam-se rapidamente no mar azul-claro. Inclua as conexões de transporte que estão em constante melhoria e um pouquinho de desenvolvimento, e as ilhas calmas de Trang vão parecer irresistíveis como um prato quente de pad thai. Descanse na provocante Ko Kradan, mergulhe com snorkel em Ko Ngai, cercada de corais; passe rapidamente pelos campos de arroz em Ko Sukorn; reme em estilo pirata na caverna de esmeraldas de Ko Muk; veja os dugongos ameaçados de extinção em meio aos mangues de Ko Libong. Vá agora – enquanto essas ilhas sonolentas gozam de um esplendor intocado.

9. Meghalaya, Índia

Se já houve um candidato a “mundo perdido” da Índia, ele deveria ser Meghalaya, o imponente planalto de calcário que divide Assam’s Brahmaputra Valley e as planícies de Bangladesh. Chove tanto no local que a região é conhecida como o lugar mais molhado da Terra, mas quando o céu clareia e o sol brilha, são revelados cachoeiras espumantes, postos tribais e pontes que se entrelaçam pelas raízes vivas das árvores da floresta. Há muitas oportunidades para caminhadas, escaladas, rafting e exploração de cavernas. Depois de décadas fora do mapa turístico, as pessoas começaram a notar esse lugar escondido onde o cristianismo é a principal religião, arco e flecha é o principal esporte e fazendeiros usam cestos em formato de casco de tartaruga para manter os alimentos secos enquanto chuvas fortes caem. Meghalaya não continuará quieta por muito tempo, então vá para lá antes que os caçadores de aventuras invadam as Khāsi Hills.

10. Taitung, Taiwan

Cercada por colinas verdes e o Pacífico, de água azul-turquesa, a sedutora Taitung é o maravilhoso segredo de Taiwan. Esse berço da cultura indígena é o lugar para festejar após a colheita com festivais de música e vinho doce de milho-miúdo. Todo ano-novo chinês, Taitung recebe o festival mais excêntrico da ilha: o Bombing Master Handan, que consiste em arremessar bombinhas em um voluntário quase nu enquanto ele desfila nas ruas em uma liteira. No verão, a costa se anima para o Aberto de surfe de Taiwan, enquanto o céu se enche de cor durante a Fiesta internacional de balões de ar quente. Fique até setembro para caminhar por entre campos de lírios laranja e então saborear suas pétalas apimentadas e bem-fritas. Ou aproveite esse excelente condado rural observando baleias, estrelas e andando de bicicleta. Um forte tufão atingiu Taitung no dia 8 de julho, causando danos de grandes extensões. Uma operação de limpeza está em andamento, no entanto os turistas devem consultar o governo do país para maiores informações.

Anúncios

Os aeroportos mais divertidos do mundo

Máquinas caça-níqueis no aeroporto de Las Vegas (EUA).
Máquinas caça-níqueis no aeroporto de Las Vegas (EUA).
Do El Pais
A espera em um aeroporto costuma ser um dos momentos mais entediantes na hora de viajar. Que o diga Viktor Navorski, personagem interpretado por Tom Hanks em O Terminal (2004). Teria se desesperado a tal ponto caso tivesse disponível uma onda artificial para surfar? Ou um circuito de golfe? Ou algumas máquinas caça-níqueis? Existem aeroportos que poderiam ter oferecido essas amenidades. O JFK, de Nova York, no qual o personagem acaba preso sem poder retornar ao país de origem, pode até oferecer bares, restaurantes e muitas lojas, mas nada muito extravagante.

1. A corrida do ouro

LAS VEGAS

O aeroporto de Las Vegas (EUA) não é o único no qual podemos jogar, mas com certeza é o mais emblemático. Se você não puder esperar para chegar ao Caesar’s Palace, ou se quiser fazer suas últimas apostas, este aeroporto oferece 1.234 caça-níqueis. Para fazer você se sentir na cidade do pecado, assim que pisa nela. Viva Las Vegas.

2. Surfando entre aviões

MUNIQUE

Não é a onda de Mundaka, mas estamos em um aeroporto em plena Baviera (Alemanha), por isso não se pode exigir muito. Há cinco anos, o aeroporto de Munique instala durante o mês de agosto, verão na Europa, uma onda artificial de 1,5 metro de altura para quem quiser praticar (de graça) suas habilidades sobre a prancha, independentemente do nível de experiência. O evento também inclui um campeonato de surfistas profissionais, caso se prefira observar à distância, e um acampamento para crianças que queiram começar a pegar uma onda. Não é preciso ter equipamentos, tudo é fornecido pelo aeroporto.

Aeroporto de Munique

3. Cachorroterapia

LOS ANGELES

Como viajar ou ter que esperar durante horas o próximo voo pode ser estressante, o Aeroporto Internacional de Los Angeles (EUA) introduziu um programa para proporcionar alívio aos passageiros através da interação com animais de estimação. Dezenas de voluntários andam com seus cães nas portas de saída de cada terminal, oferecendo o carinho dos animais, bem como informações. Usam coletes vermelhos, por isso são fáceis de reconhecer. Já receberam um prêmio da prefeitura de Los Angeles pela iniciativa.

4. Massagens para voar tranquilo

PARIS

Depois de passar pelo controle de passaportes do terminal dois (o principal) do aeroporto Charles De Gaulle, em Paris, é possível observar quiosques azuis que convidam ao relaxamento. São as boutiques de massagem da Be Relax, que oferecem até 10 tipos diferentes de tratamento, de acordo com a necessidade do viajante, incluindo massagens com pedras quentes, depilação e manicure. O Charles De Gaulle foi o primeiro, mas a empresa já tem 40 espaços distribuídos em 12 aeroportos em oito países.

5. Peixinhos coloridos

VANCOUVER

O aeroporto de Vancouver (Canadá) é um dos mais movimentados da América do Norte. Desde 2007, possui dois aquários com mais de 5.000 peixes para os amantes da fauna marinha. Em seus mais de 100.000 litros de água, podemos encontrar, entre outras espécies, enguias lobo, anêmonas, estrelas do mar ou água-viva de todos os tipos. Se você estiver no terminal internacional, é difícil não ver o tanque principal.

6. Sim, eu quero!

AMSTERDÃ

Os aeroportos são lugares onde se vivem intensas cenas de amor, de reencontros e despedidas. E podem ser um grande cenário para propor um casamento. E também para se casar, se você estiver no Schiphol, em Amsterdã. Lá, qualquer casal pode celebrar suas bodas ao estilo aviador e não perder tempo em partir para a lua-de-mel. Inclusive dá para organizar a festa posterior num avião.

7. Das tacadas para a pista

HONG KONG

Hong Kong tem seu futurista aeroporto construído em uma de suas numerosas ilhas, com uma extensão suficiente para transformar parte do seu espaço em um centro de entretenimento que conta, por exemplo, com um cinema IMAX e com seu próprio campo de golfe, com nove buracos. Apesar de localizado entre pistas de aterrissagem, não deixa de exigir um determinado código de vestimenta e o cumprimento das normas de conduta do bom golfista. São sete buracos de par três e outros dois de par quatro, desenhados para propor desafios a jogadores com certa experiência, com terrenos ondulados, abundantes bunkers e lagos.

8. Tobogã e embarque

SINGAPURA

Changi, o aeroporto internacional de Singapura, há anos é considerado um dos melhores do mundo. Em suas gigantescas instalações podemos encontrar todo tipo de atrativos para não nos entediarmos durante a espera pelo voo. De piscina no telhado até um tremendo repertório de jardins, nos quais podemos conviver com borboletas ou perder a noção do tempo vendo os girassóis se moverem. Se tiver pressa para embarcar, talvez seja melhor pegar o tobogã de 12 metros, o maior de Singapura, no qual descerá quatro andares num piscar de olhos.

9. Uma coleção inquietante

ANCHORAGE

A cidade mais povoada do Alasca tem no seu aeroporto uma exposição de arte e elementos de sua cultura indígena. Mas, além disso, abriga uma coleção de animais empalhados, uma ode à taxidermia que inclui ursos, bisões, castores, lobos, águias e um longo etcétera. O urso polar, que se mostra de pé e desafiador sobre suas patas traseiras, é evidentemente o ponto de encontro usado por todos.

10. Artes ocultas

PORTO PRÍNCIPE

No Haiti ainda são muito comuns (ou isso contam aos turistas) os rituais ocultistas de vodu. Nas lojas do aeroporto de Porto Príncipe, os bonecos dessa religião afro-americana são uma das lembranças mais procuradas pelos turistas. Não sabemos se porque alguém lhes incomodou durante a viagem ou porque já estão pensando na pessoa que lhes incomodará na volta para casa. O vodu tem sua origem nas colônias francesas de escravos do século XVIII e exige um rigoroso código de conduta, afastado da desonra e da cobiça.