A ponte que mergulha no oceano

Blog do Márcio Moraes

Já é sabido que conhecer a Europa ultrapassa os limites geográficos. A proximidade dos países facilita nossa viagem e torna possível até mesmo o aluguel de um carro para dirigir pelas vias europeias – verdadeiros tapetes a céu aberto. Apesar disso, a Suécia sempre foi um desafio para aqueles que desejam visitá-la com um automóvel.

Cercada pelo mar Báltico, a grande costa sueca parece, a princípio, impenetrável. Não existem vizinhos que façam uma conexão pelas estradas do Velho Continente e se arriscar pela Noruega ou Finlândia torna a missão ainda mais difícil – e distante. Porém, um pequeno trecho conhecido como estreito de Öresund parece ser uma luz no fim do túnel para concretizar esse desafio.

Além de sua função geográfica, que liga as águas do Báltico para o mar do Norte, ele passou a figurar nos GPS como a única maneira de chegar à Suécia de carro. A alternativa conecta a cidade de Malmo com a capital dinamarquesa, Copenhague, e surgiu graças aos esforços de ambos os governos, que iniciaram o projeto em 1991. A solução foi entregue nove anos depois e recebeu o nome de Ponte de Öresund.

Ao longo dos 16km de extensão, turistas e moradores são transportados para dois países diferentes por um caminho com partes subterrâneas e ao ar livre. Para utilizá-la, é preciso desembolsar €48 em um pedágio local. Abaixo do nível do mar, uma ferrovia carrega passageiros pela mesma rota, embora faça o itinerário bem mais rápido – sem que haja, por exemplo, muito tempo para apreciá-la.

Confira abaixo cada detalhe da maior ponte combinada da Europa:

Divulgação

 

Divulgação unrestricted

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Divulgação

Anúncios

10 cafeterias imperdíveis mundo afora

Nômades Digitais

Precisa se alimentar, relaxar, encontrar os amigos ou trabalhar? Cafeterias costumam ser lugares aconchegantes e inspiradores e, mais do que servir cafés, funcionam como pequenos refúgios na cidade.

Assim como você tem músicas, livros e tipos de espresso favoritos, é provável que você tenha sua cafeteria favorita na cidade em que mora e dificilmente frequenta os demais cafés. Mas quando for viajar, leve esta lista consigo e tenha a garantia de que irá passar por cafeterias simplesmente incríveis.

Elas até podem não fazer bem o seu estilo e podem não se tornar as suas favoritas, mas com certeza vale a pena conhecê-las.

1. The Grounds of Alexandria, Austrália

O que antigamente era uma fábrica de tortas se transformou em um charmoso café. Não só o ambiente é bonito e aconchegante, como os cafés são realmente especiais. Há uma sala para pesquisa e testes de grãos, que vêm de países como a Colômbia, Etiópia, Uganda e o Brasil. No terraço, vegetais e ervas são cultivadas por um especialista e são utilizadas na composição de pratos da própria cafeteria.

TheGrounds1

Cafeterias para visitar

Fotos © The Grounds

2. The Vintage Emporium – Londres, Inglaterra

Nostalgia é a palavra certa para descrever esta cafeteria. Além dos cafés, antiguidades são especialidade da casa e também estão à venda. No estilo vitoriano, o local abriga uma centena de objetos antigos, que vão desde vitrolas até sapatos.

Cafeterias para visitar

Cafeterias para visitar

Fotos © A Cat of Impossible Colour

3. Hotel Central & Café – Copenhagen, Dinamarca

Trata-se de um hotel e um café. Contudo, o hotel só oferece um quarto e o café cinco cadeiras. Sem dúvida alguma, este é o menor e mais curioso hotel-café da cidade.

Cafeterias para visitar

Cafeterias para visitar

Fotos © Yvonne Konné

4. Balzac’s – Toronto, Canadá

A antiga fábrica foi transformada em um café no estilo parisiense. Do charmoso lustre ao estilo das mesas, tudo faz você lembrar da iluminada Paris.

Balzacs1

Cafeterias para visitar

Fotos © Balzac’s Roasters 

5. La Distributice – Montreal, Canadá

Diferente da cafeteria dinamarquesa, aqui não há sequer cadeiras. O La Distributice é tido como a menor cafeteria da América do Norte e serve apenas cafés para viagem.

Cafeterias para visitar

Cafeterias para visitar

Fotos © Caffeinated by Design

6. The Lily Vanilli – Londres, Inglaterra

No estilo antigo, esta pequena padaria e cafeteria é principalmente conhecida por seus cupcakes.

LilyVanilli1

LilyVanilli2

Fotos © Lily Vanilly

7. L’oisiveThé – Paris, França

Esta é uma casa de chás, mas é tão charmosa e encantadora quanto as demais cafeterias da lista. Além de servir bebidas quentes, a loja funciona como um armarinhos e vende tudo o que você precisa para fazer tricô e afins.

cafe7

Cafeterias para visitar

Fotos © Chiffon Brodeuse

8. Little Nap Coffee Stand – Tóquio, Japão

Se você estiver no Japão e quiser sentir um gostinho dos Estados Unidos, esta é a cafeteria certa para ir. O design industrial, com chão de madeira de demolição e detalhes em metal, definitivamente não é um ponto contra no conforto do lugar.

Cafeterias para visitar

Cafeterias para visitar

Fotos © The Fox is Black

9. Snickarbacken 7 – Estocolmo, Suécia

Esta cafeteria fica um pouco escondida, na frente de uma galeria de arte. Os especialistas em café que lá trabalham adoram falar sobre grãos e compartilhar conhecimento.

Cafeterias para visitar

Cafeterias para visitar

Fotos © T Magazine

10. Le Coutume Café – Paris, França

Considerada uma das melhores cafeterias da Europa, o Café Coutume investe nos mais diferentes tipos de grãos e cafés: um prato (ou xícara!) cheio para quem gosta de experimentar.

Coutume

Cafeterias para visitar

Fotos © AA13

Dez das paisagens mais estonteantes do mundo

Saia em busca da aurora boreal

Do Lonely Planet

Observar uma vista extraordinária pela primeira vez é uma das maiores emoções de um viajante – e estas 10 paisagens estão entre as mais estonteantes que já vimos.

Parque Nacional de Yellowstone, Wyoming, EUA

Vista aérea da Grand Prismatic Spring
Foto por: 
©Lorcel/Shutterstock 

O Parque Nacional de Yellowstone tem uma quantidade imensa de cenários fabulosos, das cachoeiras estrondosas do Grand Canyon ao famigerado gêiser ‘Old Faithful’. Mas seria difícil superar as cores deslumbrantes da Grand Prismatic Spring, a maior fonte termal dos EUA. O espectro de tons que variam de verde-esmeralda a ferrugem provém de diferentes tipos de bactérias, e cada uma delas se prolifera em uma temperatura específica de água.

Aurora boreal, KirunaSuécia

Esse espetáculo surreal é uma das mais cobiçadas coisas para fazer antes de morrer. A fascinante exibição aparece quando partículas carregadas, que emanam do sol a 1.4 milhões de km/h, atingem o campo magnético da Terra nos polos do planeta. O efeito dessas cortinas de luz é intensificado por tempestades solares. Nunca houve melhor época para observar a misteriosa aurora boreal – o período atual de máxima atividade solar atinge seu ápice; então, saia à caça delas entre novembro e março no norte da Escandinávia, no Alasca, no Canadá e até na Escócia.

Platô de Valensole, Alpes de Haute-Provence, França

Vista do Platô
Foto por: 
©Peter Zelei Images/Getty Images/Moment RF

Paris até pode ter mais fãs, mas uma das vistas mais românticas da França são as planícies onduladas da Provença salpicadas de roxo no verão. Da lavanda dos campos do Platô de Valensole se faz óleo de lavanda, mel, sabonete e sachês perfumados. Os campos perfumados normalmente florescem em julho.

Gêiser Strokkur, Islândia

O Strokkur em ação
Foto por: 
©Gary Toriello/Lonely Planet

Na junção entre duas placas tectônicas, a Islândia é uma das regiões mais geologicamente ativas do mundo, uma fantástica atração para viajantes com sede de aventura. Em uma paisagem tão imprevisível, o gêiser Strokkur consegue permanecer surpreendentemente pontual: ele estoura a cada quatro ou oito minutos, lançando água a 40 metros para o ar. O próprio termo ‘gêiser’ vem do islandês ‘geysa’, que significa ‘jorrar’.

The Wave, Coyote Buttes, ArizonaUtahEUA

O impressionante The Wave
Foto por: ©Stefano Coltelli/Lonely Planet

Essa maravilha de arenito na fronteira Arizona-Utah é uma vista cobiçada não somente por seu formato notável, mas também pela caminhada dolorosa para se chegar até ela. O padrão ondulado faz com que sedimentos se depositem sob mares que desapareceram, e as rochas se desgastam pelas intempéries.

Cachoeira Nideck, AlsáciaFrança

Esta cachoeira em Nideck está localizada em uma floresta, abaixo das ruínas de um castelo – que, de acordo com um conto de fadas dos Irmãos Grimm, era habitado por uma família de gigantes. As quedas atingem o ápice da magia no inverno, quando congelam e viram uma cascata de pingentes de gelo.

Vulcão Nabiyotum, Quênia

A cratera circular de Nabiyotum fica ao norte do Lago Turkana no Quênia, o maior lago alcalino do mundo. O Vale Rift é lar de várias crateras, bem como de vulcões ainda ativos. A região é remota e pode ser difícil de explorar, mas as recompensas são várias: assim como vistas geológicas de outro mundo, o lago abriga mais de 150 espécies de pássaros e também girafas, zebras e búfalos.

Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, Croácia

Gruta ao pôr-do-sol
Foto por: 
©Mark Read/Lonely Planet

Na lista de patrimônios mundiais da Unesco, esse parque é constituído de lagos interligados e com cascatas, grutas e uma floresta. Viajantes podem explorar essa terra das maravilhas aquáticas através de uma série de trilhas interligadas na mata, em torno dos lagos ricos em minerais. As passagens podem ficar lotadas no verão, mas vale a pena ver os arco-íris tremeluzindo fora das cachoeiras e borboletas pairando em volta das piscinas de água verde-azulada.

Cachoeira na geleira Mýrdalsjökull, Islândia

A Islândia tem uma variedade notável de cachoeiras impressionantes, da ondulada Goðafoss à retumbante Dettifoss. As quedas em Mýrdalsjökull, em especial, são impressionantes: a geleira cobre um vulcão ativo, e o escoamento cria uma cascata consideravelmente vigorosa.

Arrozais em Yuanyuang, Yúnnán, China

Yúnnán, no sudoeste da China, é uma caixa de surpresas de paisagens maravilhosas, incluindo florestas tropicais e picos cobertos de neve. Esse incrível mosaico é uma planície fértil de arrozais no centro agrícola da região.

Este artigo foi publicado em Janeiro de 2016 e foi atualizado em Janeiro de 2016.